Destaque Vila Verde

Vila de Prado. PJ investiga assalto violento à pastelaria Faial d’Ouro

Fernando André Silva

A Polícia Judiciária já esteve na pastelaria Faial d’Ouro a recolher indícios do violento assalto que ocorreu ao início da manhã desta quinta-feira, naquele estabelecimento na Vila de Prado. Dois inspetores recolheram provas por entre os escombros das chamas provocadas pelos assaltantes depois de saírem do estabelecimento.

No local, esta manhã, alguns clientes regulares do estabelecimento, que abriu em julho deste ano, mostram espanto ao deparar-se com um cenário grotesco, prontamente explicado pela funcionária do estabelecimento que ficou de “plantão”, à porta do café.

Ao V, Alexandra Gomes, funcionária, confessa ter-se “assustado” quando chegou ao estabelecimento para trabalhar, como habitualmente. “Já cá estava todo o aparato, o meu chefe e a mulher dele também, e foi logo de seguida para o Hospital”, disse a funcionária natural da Lage, de onde é, também, o proprietário.

Segundo a funcionária, dois dos larápios entraram para dentro com o proprietário enquanto um terceiro, também encapuzado, terá ficado cá fora à espera dos outros assaltantes.

O espanto é maior por o estabelecimento se encontrar a apenas 20 metros do posto da GNR da Vila de Prado. “Como é que não ouviram barulho nenhum nem sequer quando foi o incêndio”, questionam alguns dos clientes.

Jorge Terra, proprietário e vítima do assalto, mantém-se em cirurgia no Hospital de Braga de forma a tentar recuperar um dedo que “ficou pendurado” depois de ser cortado por um dos três assaltantes encapuzados que cometeram o crime.

 

Ao que o V apurou, Jorge Terra já terá sido alvo de um assalto violento quando trabalhava noutro estabelecimento, em Braga.

A PJ prossegue as investigações e não está posta de lado a hipótese deste gang ser o mesmo que espancou e torturou um sexagenário proprietário de uma empresa de móveis, ocorrido há menos de um mês, também na Vila de Prado.

Recorde-se que na altura, José Dantas foi sequestrado dentro da própria casa por três encapuzados que lhe roubaram todo o dinheiro e ouro que tinha em casa.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista