Braga Destaque

Buscas. Menor que fugiu com o namorado vista pela última vez em Braga

Fernando André Silva

A Guardia Civil espanhola está no encalço de uma menor de 16 anos, espanhola, dada como desaparecida, vista pela última vez em Braga, onde passou duas noites com o namorado, também espanhol, de 22 anos.

A jovem, Adela Rodriguez Escala, está desaparecida desde 10 de dezembro, quando fugiu de casa dos pais com o novo namorado com intenção de “casar”. Foi vista com o namorado em Braga nos dias 13 e 14 de dezembro, passando despercebida desde então.

As autoridades espanholas conseguiram identificar o paradeiro do casal depois de este ter pernoitado num hotel em Tavira, a 112 quilómetros de Huelva, provincia de onde a menor havia fugido no dia anterior.

De lá, o casal rumou a Braga, onde passou mais duas noites num hotel, algo que voltou a alertar as autoridades por o casal utilizar a identificação pessoal, algo que não voltaram a fazer desde então e que despistou os investigadores da Guardia Civil, que perderam o rasto de Adela e do namorado.

Pais do casal acusam-se mutuamente

A situação está a deixar a povoação de Niebla em estado de choque. O pai da jovem, em declarações à imprensa, diz que alguém poderá estar a ajudar o casal. “Alguém teve de os levar porque nenhum dos dois sabe conduzir”, revela o pai, Javier Rodriguez, em declarações à imprensa espanhola.

Segundo a imprensa espanhola, o pai da menor tem uma “relação conturbada” com os pais do namorado da menor. O pai acusa mesmo o casal de “não querer colaborar” nas buscas e de dizer que este “não soube cuidar da filha” e que é dele e da mulher a responsabilidade desta fuga.

Os pais da menor encontraram bilhetes do namorado que demonstravam “intenção de casar e fugirem juntos”.

“Precisam de comer, comprar comida, gasolina, e não podem fazer nada disso sem ajuda”, refere ainda o pai que, citando a Guardia Civil, diz que o casal seguiu viagem por Portugal depois de fazer escala em Tavira.

“Em concreto, só sabemos que a segunda e a terceira noite foram passadas num hotel de Braga o que revela que viajaram todo o dia depois de deixarem Tavira”, diz o progenitor.

O pai diz ainda que as autoridades são da opinião de que o casal estará a receber ajuda de alguém, presumivelmente português, uma vez que se deslocaram para este país.

“Inclusive, pintaram o cabelo para mudar de imagem e passar despercebidos”, acrescenta o pai, citando as autoridades.

A relação entre os dois menores remonta a setembro, quando se conheceram depois da menor ter rompido um relacionamento com um amigo do atual namorado. A mãe da jovem encontrou quatro cartas “de amor” remetidas pelo namorado em que falava em “fugir juntos”.

Em nenhuma das cartas, no entanto, era referido uma data ou um local para onde poderiam fugir.

Até ao momento, nenhum dos dois utilizou algumas identificação pessoal, dado que a Guardia Civil não recebeu mais nenhum alerta para além dos de Tavira e Braga.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista