Desporto Destaque Vila Verde

2017. O ano em que o Vilaverdense venceu todos os jogos em casa

Foto: Estudios Lima Vila Verde
Fernando André Silva

O Vilaverdense Futebol Clube (FC) anda na mó de cima e 2017 foi um dos melhores anos de sempre para as cores que defendem a urbe de Vila Verde, ao vencer os 18 jogos disputados no Cruz do Reguengo, “cruz” que está a virar amuleto para os pupilos do “Doutor do Futebol”, António Barbosa.

O última desaire caseiro remonta a novembro de 2016, numa derrota frente à AD Oliveirense, que é precisamente o próximo emblema a deslocar-se a Vila Verde, no próximo dia 7 de janeiro.

Pese a força anímica que atraiu adeptos e não desiludiu os principais patrocinadores, os resultados do Vilaverdense estão à vista e as estatísticas não mentem.

Nos 41 jogos realizados em 2017. entre Campeonato de Portugal, Taça de Portugal e pré-época, o “Vila” venceu os 18 jogos disputados em casa, contando 28 vitórias entre o início e o final do ano.  Fora, o Vilaverdense “encaixou” dez vitórias, seis derrotas e sete empates ao longo de 2017.

Foto: Joaquim Lima / Estúdios Lima - Vila Verde

Foto: Joaquim Lima / Estúdios Lima – Vila Verde

Três das seis derrotas pertencem à época passada e uma das derrotas desta época foi infligida na Taça de Portugal pelo Sporting

A primeira derrota de 2017 remonta à época passada, em Pedras Rubras, fevereiro, (3-1). As duas outras derrotas da época passada foram em São Torcato (1-0) e em Montalegre (2-1). Em casa, terminou a segunda metade da época só com vitórias.

Já na época em curso, os comandados de António Barbosa venceram todos os jogos disputados no Cruz do Reguengo. No que toca a derrotas, foram parados em outubro, primeiro no terreno do Mirandela (3-2) e depois em Fafe (3-1). A terceira derrota da época – sexta derradeira de 2017 – foi em Alvalade, frente ao Sporting (4-0), para a Taça de Portugal.

Nos 41 jogos contabilizados constam seis derrotas, sete empates e 28 vitórias, divididas entre metade da época 2016/17 e a metade já realizada da época em curso.

Arquivo / Salomé Pessoa

Arquivo / Salomé Pessoa

Destaque ainda para os 105 golos marcados pelo clube vila-verdense nos 41 jogos, totalizando uma média de mais de dois golos por jogo.

É preciso um “Delorean” para regressar a 2004, última vez em que o Vilaverdense FC obteve resultados similares, com apenas seis derrotas averbadas durante todo o ano, mas que teve mau desfecho no final da época. Vila Verde está à espera de ver o que traz janeiro e a subida à II Liga será o sonho que pode vir como pendente do amuleto “Cruz do Reguengo”, que não mais será que os sócios e adeptos que voltaram a reconciliar-se com o clube.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista