Amares Destaque

Ambiente. Quercus pede satisfações sobre lixo e ratazanas nas ruas de Amares

Redação
Escrito por Redação

A agência ambiental Quercus já respondeu à carta submetida por um habitante de Amares, onde era denunciado um acumular de lixo em contentores no concelho de Amares e a existência de ratazanas que sobem pelo esgotos em pleno perímetro urbano.

Na carta, a que o V teve acesso e assinada por Vítor Azevedo, é apontado que o concelho “sofre de um grave atentado ambiental e de saúde pública”, expondo que várias situações foram denunciadas por vereadores da oposição durante reuniões de executivo, mas nada foi resolvido.

A carta aponta ainda a revolta de comerciantes na Av. Santo António, devido à existência de ratazanas naquela que é uma das principais avenidas de comércio em Amares.

Em resposta, e no que toca ao acumular de lixo que atraí ratos, a Quercus fez saber que já remeteu o assunto para os serviços do SEPNA (GNR), que tratam dos crimes ambientais, e expôs a situação aos serviços de higiene urbana da Câmara de Amares, de forma a monitorizarem a recolha do lixo.

Sobre a alegada praga de ratazanas na Av. Santo António, no centro de Amares, apontada à imprensa regional e nacional por vários comerciantes, diz a Quercus que está em contacto com a Administração Regional de Saúde do Norte, que, através de um delegado de saúde, fará uma intervenção.

Na última reunião de executivo da Câmara de Amares, a oposição alertou a presidência que os comerciantes queixaram-se da existência de ratos a entrar nas lojas e de lixo acumulado nas ruas, ao que o edil, Manuel Moreira, contrapôs com “falta de civismo das pessoas, que deixam sacos de resíduos abertos nos dias em que não há recolha de lixo”.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação