Editorial Opinião

Editorial. Teoria da politização

Após o desastroso resultado a nível do distrito de Braga e do concelho de Vila Verde no 37.º Congresso nacional do PSD, eis que, surpreendentemente, José Manuel Fernandes (JMF), eurodeputado e líder distrital do PSD, e Rui Silva não fazem parte dos escolhidos de Rui Rio. Dizem as más línguas que em relação a Rui Silva deve-se ao facto de este ser arguido no processo de corrupção que envolve também o ainda presidente de Câmara de Vila Verde António Vilela. Relativamente a JMF, dizem as mesmas línguas que há problemas de lixo a avizinhar-se.
Esperemos para ver… Esta é apenas uma teoria da politização.

E qual é o grande mal das más línguas (perdoem-me a redundância)? É que não se calam ao primeiro pronuncio… é que estas dizem que JMF já reuniu com Carlos Cação (presidente da junta de freguesia do Vade) e Hélder Forte (presidente da junta de freguesia de Cervães) para arquitectarem o afastamento de Rui Silva. Em sua casa, a promessa para o homem forte é Lisboa.

Esperemos para ver… Esta é apenas uma teoria da politização.

Cenários possíveis? Carlos Cação na Comissão Política. Hélder Forte adjunto de um Ministério qualquer (quiçá, aqui entraria Mara Alves como deputada) ou como deputado em Lisboa. E, claro está, Júlia Fernandes (actual vereadora da Educação em Vila Verde e esposa de JMF) candidata a presidente de Câmara de Vila Verde em 2021, com folha imaculada.
Esperemos para ver… Esta é apenas uma teoria da politização.

E já agora, aqui vai uns bitaites:

– “eu quero é sangue!”
– “V, vais sair pela porta pequena!”
– “já nem quero a tua mulher!”

Vila Verde bem representada no Congresso, mas… Esta é apenas uma teoria da politização.

Partilhe esta notícia!

Comentários

Acerca do autor

Paulo Moreira Mesquita

Paulo Moreira Mesquita

Diretor Semanário V