Braga

IPMA. Chuva, neve e vento deixam Braga em aviso amarelo

Agência Lusa
Escrito por Agência Lusa

Todos os distritos de Portugal continental estão sob aviso amarelo neste sábado, prevendo-se que a chuva, neve, vento e agitação marítima se estendam de Norte para Sul ao longo do dia, disse à Lusa fonte da Protecção Civil.

Segundo o comandante Pedro Arante, a chuva — por vezes forte e com trovoada — estender-se-á progressivamente do distrito de Viana do Castelo, a partir das 12h, devendo começar a atingir a região sul a partir das 21h, prolongando-se por Setúbal, Beja e Faro até cerca das 3h da manhã de domingo.

Por essa razão, toda a parte continental está sob aviso amarelo, uma vez que, associada à chuva, está prevista também a queda de neve a partir dos 800/1000 metros de altitude, começando a afectar com mais intensidade os distritos do nordeste (Vila Real e Bragança) e estendendo-se até aos da Guarda e Viseu e em todo o maciço da Serra da Estrela.

Segundo o comandante Pedro Arante, do Serviço Nacional de Bombeiros e da Protecção Civil (SNBPC), a agitação marítima, longe de atingir os picos recentes dos dez a 12 metros, vai continuar forte em toda a orla costeira (oeste e sul), com a ondulação de sudoeste de quatro a cinco metros, embora, pontualmente, possa ser bastante superior.

A ondulação marítima, acrescentou, tem associada uma “forte energia”, pelo que Pedro Arante recomendou à população que evite deslocar-se para zonas junto à costa, onde as rajadas de vento também serão fortes. “O aviso amarelo está associado aos quatro parâmetros analisados, como a chuva, neve, vento e agitação marítima”, insistiu o comandante da Protecção Civil, lembrando que o alerta está em vigor, pelo menos, até às 3h de domingo.

Desde o início dos alertas, a 27 de fevereiro, e até às 7h deste sábado, segundo os dados do SNBPC, foram registadas 1682 ocorrências, com os maiores números a respeitarem aos distritos de Lisboa (245 ocorrências), Viseu (212) e Faro (164).

Até agora, não há mortes associadas ao mau tempo, havendo apenas um caso de uma mulher de 37 anos, que ficou ferida com gravidade após a queda de uma estrutura do género de uma tenda na Feira das Profissões, que está a decorrer em Beja.

Os danos materiais estão ligados maioritariamente a inundações de habitações próximas da orla costeira e à queda de árvores e de estruturas várias na via pública ou em estradas.

Comentários

Acerca do autor

Agência Lusa

Agência Lusa