Editorial Opinião

Editorial. Carlos Cação: unificação de “santanistas” e “rioístas”?

Será que a máquina “fernandista” começa a olear novamente? Na próxima sexta-feira, o presidente da distrital dos sociais-democratas José Manuel Fernandes (JMF) e Rui Rio, recém eleito presidente do PSD vão estar juntos na apresentação do livro “Pela Nossa Terra – Minho 2018”, da autoria de JMF.

Tudo seria normal, não fosse o facto de que na última disputa à liderança do partido JMF, apesar de dizer publicamente que não apoiava nenhum dos candidatos, o que é certo é que as suas “tropas” movimentaram-se no apoio a Santana Lopes. A tensão entre “santanistas” e “rioístas” de Vila Verde foi notória e esta divisão poderá mesmo ter culminado com o afastamento destes intervenientes políticos aos órgãos nacionais do partido.

A estratégia da aparente unificação do partido parece ser mesmo esta: Rio cede a JMF numa necessidade de promover equilíbrios.

Com esta aproximação, JMF volta a ganhar força na distrital e a desavença com Rui Silva pode mesmo estar por um fio, afastando-o por completo da corrida à comissão política de Vila Verde. Resta saber se Rui Silva terá algum trunfo na manga, e quando dará a cartada…

Hélder Forte não reunindo consensos suficientes poderá dar margem para que Carlos Cação siga com a força toda para as próximas eleições internas do PSD de Vila Verde.

Comentários

Acerca do autor

Paulo Moreira Mesquita

Paulo Moreira Mesquita

Diretor Semanário V