Braga

Economia. Europa apoia empresa da Aveleda que restaura património

Agência Lusa
Escrito por Agência Lusa

A empresa SIGNINUM, especializada na área da conservação e restauro, vai receber perto de um milhão de euros de financiamento comunitário para investir em inovação, ao entrar na fase 2 do programa comunitário SME Instrument do Horizonte 2020.

De acordo com um comunicado divulgado pela Agência Nacional de Inovação (ANI), a SIGNINUM viu “aprovado um projeto de inovação de base tecnológica para a segunda fase do programa comunitário SME Instrument do Horizonte 2020”.

No primeiro concurso deste ano foram submetidas 1.154 propostas a nível europeu, das quais foram selecionadas para financiamento apenas 57, isto é, menos de 5% do total.

Das 30 empresas portuguesas que participaram neste concurso, a SIGNINUM foi “a única selecionada, devido à sua tecnologia de análise multiespectral, “revolucionária no mercado da conservação e restauro”, que lhe permite obter informações sobre o interior das obras de arte, lê-se no comunicado.

A análise multiespectral possibilita perceber o que está por trás das pinturas, quantificar as vezes que o quadro já foi pintado, bem como os vários materiais utilizados.

O presidente executivo SIGNINUM, António Cardoso, considerou, citado no comunicado, que a empresa “está muito honrada e satisfeita” por ter obtido o “apoio claro” do SME Instrument para o seu projeto XpeCAM.

O SME Instrument do Horizonte 2020 tem como objetivo de apoiar as pequenas e médias empresas (PME) com vocação altamente inovadora e capacidade de introduzir alterações disruptivas nos mercados.

Este programa está dividido em duas fases: a primeira, disponibiliza 50.000 euros por empresa para o desenvolvimento de um estudo de viabilidade, enquanto a segunda, com um financiamento até 2,5 milhões de euros por projeto, visa o apoio a atividades relacionadas com o desenvolvimento e demonstração da inovação.

A SIGNINUM é a 11.ª empresa portuguesa a entrar na lista de beneficiários da fase 2 do SME Instrument, sendo que, no total, as PME portuguesas já captaram cerca de 19 milhões de euros desde o inicio deste programa, em 2014.

Comentários

Acerca do autor

Agência Lusa

Agência Lusa