Braga

Prémio. Startup de Braga distinguida pelo combate às doenças neuropsiquiátricas

Fernando André Silva

A startup de Braga ‘NeuroPsyCAD’ foi distinguida com o Prémio EmpreendedorXXI nas regiões Norte e Centro de Portugal, pelos serviços de suporte ao diagnóstico de doenças neuropsiquiátricas. Nesta primeira edição, em Portugal participaram 146 empresas numa iniciativa do do BPI, CaixaBank e da Caixa Capital Risc. O prémio é de cinco mil euros mas recebem também uma bolsa para um conhecido programa de universitário de crescimento empresarial no Reino Unido.

A NeuroPsyCAD fornece a neurologistas, psiquiatras e neurorradiologistas, relatórios personalizados de pacientes que os ajudam a fazer diagnósticos de vários distúrbios neuropsiquiátricos. A ideia passa pelo envio dos exames inconclusivos para um servidor alojado na ‘cloud’ da empresa para que sejam cruzados com imagens de ressonância com recursos a algoritmos de inteligência artificial que possam estabelecer um perfil semelhante aos sintomas apontados pelo paciente, comparando os dados, aumentando o rigor de diagnóstico compatível.

“Nós queremos evitar que os doentes estejam tanto tempo sem um diagnóstico e sem um tratamento correto”, afirma Hugo Ferreira, criador da empresa. Hugo Ferreira fala mesmo no primeiro caso ‘trabalhado’ por esta startup, com uma mãe de um amigo que tinha um diagnóstico complicado. “”través da utilização do nosso sistema, conseguimos um diagnóstico provável em dois dias. Este diagnóstico veio a ser confirmado 6 meses mais tarde”, aponta o bracarense co-fundador da empresa com Diana Prata e Ricardo Maximiano.

Para além de trabalhar com doenças neurológicas, a equipa quer estender a análise dos diagnósticos para as doenças psiquiátricas, como o autismo e a esquizofrenia, áreas em que o diagnóstico é sempre complicado.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista