Editorial Opinião

Editorial. E-toupeira de Vila Verde

Com o caso “E-toupeira” a fazer manchetes em todos os órgãos de comunicação social a nível nacional, chegou a vez de Vila Verde ser presenteado por uma. Vila Verde está em todas!

Chegou-nos, à redação do V, um e-mail que andou a circular em janeiro deste ano num grupo fechado enviado por um engenheiro biomédico especialista em candidíase vaginal, onde falava na análise da sua estratégia falhada na escolha de Pedro Santana Lopes (PSL) nas eleições diretas do PSD. Diz o próprio que houve mesmo uma “enorme dificuldade e resiliência em votar PSL” e que falharam “categóricamente na mobilização nas freguesias de Atiães, Parada de Gatim e Ponte”. Na mesma reflexão, debruçando-se sobre os resultados nas freguesias de Cervães, Vila de Prado e Ribeira do Neiva, conclui que o “produto era de difícil venda”. Afirmando-se como engenheiro de formação, quis descomplicar o que não era complicado de se ver, e fez umas contas à merceeiro (poderá ter aprendido em miúdo ao balcão) onde chegou em tom vitorioso a afirmar que “os novos players não são Rui Silva, Hélder Forte e Miguel Peixoto como se apregoa”.

O verdadeiro sumo desta novela é que o engenheiro acredita piamente que ele e a sua trupe, se se mantiverem “unidos, venceremos, caso essa seja a vontade do grupo, as eleições internas” em Vila Verde.

De resto dá para perceber o cargo profissional que ocupa este nosso engenheiro, pois a tratar das “infeções” é que se proteje o “corpo”, não vão elas crescer e tomar conta dele até à cabeça.

Comentários

Acerca do autor

Paulo Moreira Mesquita

Paulo Moreira Mesquita

Diretor Semanário V