Destaque Vila Verde

Óbito. Vila de Prado consternada após morte da Luísa dos Carvalhinhos

c) Agência Funerária Pradense
Redação
Escrito por Redação

A Vila de Prado acordou com a trágica notícia da morte de Maria Luísa Gonçalves, residente no lugar de Carvalhinhos e que habitualmente montava uma banca ambulante aos fins de semana no cruzamento daquele lugar, que dá acesso a Oleiros, onde vendia “os melhores tremoços da região”.

A morte da emblemática “Luísa Charuta” causou consternação não só no lugar de Carvalhinhos, onde era um ícone identitário, mas também em toda a Vila de Prado, como referiu Patrício Araújo, vereador na Câmara de Vila Verde.

“A perda não se confina apenas aos Carvalhinhos mas a toda freguesia”, refere o vereador nas redes sociais, salientando o “estilo muito peculiar” de Luísa, realçando ainda a “fibra, determinação e solidariedade para com as pessoas e as causas”, assumindo que foi alguém que “marcou a todos”.

O comentário do vereador surge como resposta numa publicação nas redes sociais por parte de Miguel Peixoto, natural daquela vila e antigo líder da JSD e deputado na AR, que deixou uma foto com a pradense e o anúncio de que “Carvalhinhos perdeu a Luísa”.

“Perdeu a mulher humilde, perdeu a mulher guerreira, perdeu a mulher das pilhas ‘duracell’, perdeu a mulher da energia contagiante, perdeu a mulher solidária, perdeu os domingos antes de almoço, perdeu os eternos domingos à tarde, perdeu o maior ícone deste lugar”, referiu Miguel Peixoto.

As cerimónias fúnebres em memória de Maria Luísa Gonçalves realizam-se esta segunda-feira, na Igreja Matriz da Vila de Prado, pelas 17 horas.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação