Braga

Tribunais. MP de Braga acusa 22 arguidos de tráfico de estupefacientes

Tribunal de Braga
Agência Lusa
Escrito por Agência Lusa

O Ministério Público na Comarca de Braga acusou 22 arguidos de tráfico de estupefacientes, sendo os crimes cometidos “em diversos locais”, incluindo estabelecimentos prisionais, anunciou hoje a Procuradoria-Geral Distrital do Porto (PGDP).

Em nota publicada na sua página na Internet, a PGDP refere que factos decorreram em 2017, entre o início do ano e 08 de outubro, “envolvendo grandes quantidades de estupefacientes (heroína, cocaína e haxixe) que eram transacionados em diversos locais, inclusive em estabelecimentos prisionais”.

Acrescenta que nos autos estão apreendidos cerca de 10 mil euros encontrados na posse de alguns arguidos.

Dos 22 arguidos, oito encontram-se a aguardar julgamento sujeitos a prisão preventiva, a mais grave das medidas de coação.

A rede foi desmantelada em 8 de outubro, no âmbito de uma investigação do Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Braga, que decorria há cerca de sete meses.

Durante a operação, foram efetuadas 13 buscas domiciliárias e quatro não domiciliárias em vários concelhos dos distritos de Braga e Porto, tendo sido apreendidos 2,8 quilos de haxixe (suficiente para mais de cinco mil doses), 1.242 doses de heroína, 1.050 doses de cocaína, duas plantas de canábis e diverso material relacionado com o tráfico de droga.

Uma das buscas foi no Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira, tendo como alvo um recluso, que foi constituído arguido.

Foram ainda apreendidas dez armas de fogo, 1.380 munições de diversos calibres, dois sabres baioneta e três caixas de pólvora, além de 13 telemóveis e um ‘ipad’ e dois veículos.

A maioria dos arguidos responde por tráfico de estupefacientes agravado.

Comentários

Acerca do autor

Agência Lusa

Agência Lusa