Editorial Opinião

Editorial. PSD de Vila Verde (re)unido à mesa?

Pelo que fui informado, na semanada passada José Manuel Fernandes (presidente da Comissão Política Distrital do PSD), terá promovido uma reunião onde reuniu (passo a redundância) António Vilela (presidente da Câmara de Vila Verde), Carlos Cação (presidente da União das Freguesias do Vade), Hélder Forte (presidente da Junta de Cervães) e Rui Silva (actual presidente da Comissão Política de Vila Verde), com claro objectivo de unir o partido.

O plano não lhe correu bem, pois está mais que evidente há já muito tempo que o PSD de Vila Verde está dividido e com duas frentes activas a caminho de 2021. Para já, e num futuro bem mais próximo, nas eleições internas para a Comissão Política do partido vejo o seguinte cenário: Hélder Forte candidato à presidência com o apoio de Miguel Peixoto, levando para a Mesa da Comissão política Rui Silva. Como adversário directo terá Carlos Cação candidato à presidência com o apoio de José Manuel Lopes (presidente de Junta da Freguesia de Moure) levando para a Mesa da comissão Política António Vilela. Eis os dois braços de ferro em luta em que um deles poderá ter muito a perder caso o desfecho desde duelo não lhe seja favorável: Carlos Cação. Com uma derrota poderá ver num futuro próximo as relações comercias da sua empresa (Pedrivalões) com a Câmara Municipal de Vila Verde serem fragilizadas

Comentários

Acerca do autor

Paulo Moreira Mesquita

Paulo Moreira Mesquita

Diretor Semanário V