Região

Ensino. Universidade do Minho organiza ‘Open Weekend’ para “se dar a conhecer”

Agência Lusa
Escrito por Agência Lusa

A Universidade do Minho (UMinho) quer “dar-se a conhecer” num “Open Weekend” que convida a população “de todas as idades” a participar nas quase 80 atividades preparadas pelas escolas da academia, explicou à Lusa o reitor daquela instituição.

Em declarações à agência Lusa, Rui Vieira de Castro explicou que a segunda edição daquela iniciativa, que decorre sexta, sábado e domingo na UMinho, “é uma forma única de a universidade dar-se a conhecer” a quem a quiser visitar, estando já inscritos cerca de 1.600 pessoas.

“A nossa ideia é possibilitar que pessoas de qualquer idade, qualquer lugar, possam deslocar-se até à universidade e possam conhecer por dentro a realidade da universidade, aquilo que é feito nos laboratórios, nas nossas escolas, que possam perceber os nossos projetos de investigação e de ensino, que possam perceber aquilo que oferecemos aos nossos estudantes em termos de atividades desportivas, condições de vida”, explicou o responsável.

O objetivo, referiu o reitor, “é muito mais vasto do que a intenção de dar a conhecer [a universidade] a futuros e possíveis estudantes”.

“Essa missão está expressa no facto de termos inscrições de crianças de 9, 10 anos, até pessoas que já fizeram os seus percursos escolares e académicos”, apontou.

Segundo Vieira de Castro, dos cerca de 1.600 inscritos “há gente de várias regiões” do país: “Braga e Viana do Castelo, Porto, Beira, Coimbra, conseguimos abarcar uma área geográfica muito significativa”, salientou.

Aos participantes, a UMinho garante cerca de 80 atividades desenvolvidas pelas 11 escolas que compõem a academia, desde experiências, demonstrações científicas, ‘workshops’, palestras, visitas e desafios.

A UMinho destaca que “em termos práticos, será possível, por exemplo, cultivar células humanas do sistema digestivo ou da pele, aprender caligrafia árabe, desenhar e imprimir uma capa de telemóvel em 3D, medir a tensão arterial dos colegas, assumir o papel de juiz e advogado”.

Os participantes poderão ainda “auscultar a atividade cerebral, analisar tecido hepático ao microscópio, pilotar drones para captar imagens geológicas, conhecer o mundo da bolsa portuguesa, produzir iogurte natural para perceber os mecanismos de fermentação, construir uma torre de esparguete e avaliar a sua resistência a sismos, identificar o maior número de árvores no campus e conceber reportagens multimédia e campanhas publicitárias”, enumerou.

Apesar de a participação no “Open Weekend” estar sujeita a inscrição prévia, o reitor deixou uma garantia: “Quem quiser mesmo participar, com certeza que se encontrará uma forma de integrar mais alguém que apareça”.

Comentários

Acerca do autor

Agência Lusa

Agência Lusa