Destaque Vila Verde

Polémica. Junta do Vade revela destino das transferências da Câmara de Vila Verde

Fernando André Silva

A Junta de Freguesia da UF do Vade escrutinou hoje os diferentes destinos dos cerca de 89 mil euros transferidos pela Câmara de Vila Verde durante o ano de 2017. Em comunicado, aquela junta liderada por Carlos Cação, diz que a informação publicada ontem por parte do líder do PS de Vila Verde, não é “clarificadora” por não apontar o destino dos montantes.

A junta, que foi quem mais recebeu da Câmara de Vila Verde, conforme apresentado na dita publicação, escrutina assim os diferentes destinos da transferência corrente em nome da “total transparência”, indicando 15.831 euros para refeições escolares do 1.º ciclo, 15.536 euros para o prolongamento de um jardim de infância, 10.428 euros para refeições no jardim de infância, 39.850 euros para acordos de execução, 7.458 euros em transportes escolares, 700 euros para limpeza e manutenção escolar.

A junta diz ainda que “garante serviços e compromissos que de outra forma teriam de ser assumidos diretamente pelo Município, designadamente ao nível do transporte escolar e apoio às refeições escolares” e deixa críticas à publicação de José Morais, que indicava os valores recebidos por todas as freguesias.

A junta acusa a publicação de ser “propaganda politica” e lamenta que a mesma “não cumpra com o seu suposto desígnio e opte pelo lançamento de tabelas com valores pouco ou nada informativos e com objetivos dúbios”.

A junta diz ainda que “não se revê na estratégia dos lideres partidários que se foca na desinformação alimentando discussões pouco ou nada proveitosas para o nosso concelho” e lamenta o voto negativo por parte dos vereadores do PS, na reunião de executivo realizada ontem, sobre a “cedência das instalações desocupadas da antiga escola primária de Covas para serviço do Centro Paroquial e Social de Covas”.

Este comunicado surgiu no seguimento da divulgação pública das transferências correntes para as freguesias do concelho de Vila Verde, por parte do Município, divulgado pelo líder do PS de Vila Verde, José Morais, no final da aprovação da prestação de contas para o ano de 2017, realizada ontem em reunião de executivo municipal.

Durante o ano de 2017, a UF do Vade foi quem mais recebeu, cerca de 89 mil euros, a serem divididos pelas cinco freguesias que compõe a união, ocupando o topo da lista, seguido por Vila Verde e Barbudo (cerca de 78 mil euros) e a UF de Ribeira do Neiva (73 mil euros).

No fundo da lista está a freguesia de Atiães, que recebeu 5 mil euros durante o ano transato. Também Pico São Cristóvão (8 mil euros) e Ponte São Vicente (6 mil euros) ocupam os lugares do fundo.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista