País

Crime. Emigrante português na Suíça mata familiares com mais de 20 tiros

Partilhe esta notícia!

Um emigrante português de 49 anos terá assassinado a tiro uma mulher e o filho desta, ontem ao final da tarde, em Payerne, na Suíça. O homem terá desferido entre 20 a 30 tiros para depois se entregar às autoridades. Vizinhos falam em “drama familiar”.

O tiroteio aconteceu naquela cidade do cantão de Vaud, na casa dos portugueses, junto à estação de comboios local.

O suposto agressor, um português de 49 anos que vive na região, entregou-se às autoridades durante a noite e foi preso sem resistência, avança a policia cantonal de Vaud.

A chamada de emergência foi recebida pela polícia às 18h30 de quarta-feira. Antes, os moradores vizinhos tinham ouvido vários tiros em um prédio perto da estação de Payerne. Uma unidade policial especial foi acionada para o local e encontrou dois corpos nas escadas da propriedade, a de um jovem e de uma mulher.

No corredor, vários cartuchos de munição foram espalhadas ao redor. Tudo indica que o atirador tivesse deixado a cena do crime à pressa quando a polícia chegou.

Todo o edifício foi evacuado pela polícia local para investigação e os residentes ficaram alojados à guarda pública. O Ministério Público abriu novas investigações.

“Nós ainda temos que esperar para a identificação formal, mas suspeitamos que as três pessoas pertencem à mesma família”, disse Arnold Poot, porta-voz da polícia cantonal. Uma das vítimas morava no prédio.

O alegado autor é proprietário de armas de fogo e tem uma licença, disse Poot.

Comentários

topo