Vila Verde

Economia. Diretor de construtora de Vila Verde envolvido em incumprimento na Colômbia

DR
Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

O diretor-geral da empresa de engenharia BG BUILD GROW S.A., Nuno Galante, de Vila Verde, esteve envolvido num caso de incumprimento fiscal na área imobiliária, em Bogotá, na Colômbia.

O grupo português está responsável por realizar a obra de requalificação da antiga Adega Cooperativa de Vila Verde e a requalificação e modernização da Escola Básica de Prado.

O caso começou em 2012, logo após o grupo português Prebuild adquirir a empresa EKKO Promotora S.A., cujo representante legal é Nuno Galante.

A Prebuild, responsável por reconstruir um parque industrial em Bogotá, alugou a propriedade que estava a construir à EKKO Promotora e os problemas de pagamentos começaram a surgir. No primeiro, segundo, terceiro e quarto mês o dinheiro não apareceu.

De acordo com a declaração de um ex-trabalhador ao jornal colombiano El Espectador, a empresa ficou envolvida em várias ações judiciais, por não pagar liquidações e por assédio trabalhista.

Em causa esteve também a Terranum Hotels, um grupo de investimento imobiliário, que escolheu a empresa portuguesa para a construção de um Hotel na Colômbia e também não teve sorte com o negócio.

O Grupo empresarial Prebuild e a EKKO Promotora S.A. entraram em liquidação. Foi aberto um processo de liquidação judicial e os trabalhadores cessaram as atividades em abril de 2015.

Segundo o El Espectador, denunciaram “má gestão administrativa e descumprimento em aproximadamente quatro meses de salários”.

Em causa esteve uma multa de cerca de 1,6 milhões de euros que o grupo Prebuild sofreu, por não ter declarado a sua situação no processo de liquidação judicial.

Entretanto, em 2017, a empresa BG BUILD GROW S.A. venceu o concurso público projetado pelo executivo da Câmara de Vila Verde para realização da obra de requalificação da antiga Adega Cooperativa de Vila Verde, com o objetivo de a transformar num edifício para uso cultural e artístico.

O custo da obra ascende a mais de 2 milhões e tem um prazo de execução de 540 dias.

Para além de Nuno Galante, a administração da empresa BUILD GROW S.A. tem ainda o antigo secretário de Estado do PSD, Jorge Fernando Magalhães da Costa.

A obra foi projetada por uma empresa de Lisboa, Beabstract, em 2016, desta vez por ajuste direto, através de um contrato de cerca de 74 mil euros.

A mesma empresa, BG BUILD GROW S.A., vai realizar, também, a requalificação e modernização da escola básica de Prado.

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista