Braga Destaque

Braga. Ativistas vão manifestar-se na AGRO contra a exposição de animais

Agro 2018 (c) Sérgio Freitas
Fernando André Silva

Alguns grupos ativistas pelos direitos dos animais e pelo vegetarianismo vão manifestar-se este fim de semana no recinto da feira AGRO com uma manifestação silenciosa no domingo e a exibição de vídeos sobre a indústria agropecuária.

Em comunicado, o movimento cívico “Braga para Todos” avança que esta será uma tentativa de “sensibilizar os presentes face ao uso de animais nas exposições” e também para alertar para “danos gravosos da indústria animal para o planeta”, “atrocidades cometidas pela indústria” e para o alegado prejuízo para saúde humana devido ao “excesso de consumo de animais”.

O movimento mostra-se a favor da AGRO, mas acredita ser “desnecessário os animais ficarem no recinto expostos a níveis de stress elevados provocados pela grande afluência do evento”.

“A iniciativa parece-nos benéfica para a cidade, no entanto esta existe há 51 anos, é tempo de mudar de paradigma e manter as feiras, mas destacando outras atividades e não o contínuo uso de seres sencientes. O debate sobre as Bio-regiões é muito interessante face à promoção de produtos biológicos e novas alternativas de negócio, mas a presença de animais e palestras, a defender as atrocidades da indústria agropecuária não nos parece adequado ao período que vivemos”.

O Braga para Todos, a Direct Action Everywhere e a VeganHood são os três movimentos que se irão representar nas manifestações, alertam ainda para o passeios de charrete com uma égua da Quinta Pedagógica, que segundo os ativistas, anula a função daquela quinta quando colocam um animal exposto a um ambiente diferente do habitual e a transportar curiosos”.

“Temos que mudar a forma como usamos os animais e o maior exemplo devia vir destes locais, mais uma vez a visão retrógrada de quem gere até espaço é notório”, refere ainda o Braga para Todos.

Outra situação apontada, no programa da AGRO, como grave, para os defensores da causa animal é o debate a promover a carne, ovos e leite como alimentos bons para os humanos, quando a comunidade científica já provou que não.

”Os lobbies desta indústria não podem continuar a ludibriar a realidade, além de ser possível viver sem estes alimentos, a forma como estes são criados é de uma violência atroz para os animais, como se pode educar uma sociedade a promover a supremacia de uns sobre os outros?”, questiona ainda o movimento.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista