Destaque Vila Verde

Portista de Vila Verde quer construir estátua de Pinto da Costa em Cabanelas (C/Vídeo)

Maior portista de Vila Verde (c) FAS / Semanário V
Fernando André Silva

No número 25 da Rua dos Combatentes em Cabanelas, Vila Verde, vive Domingos da Silva Azevedo, de 65 anos e que se auto-intitula como o “maior portista de Vila Verde” e que tem o sonho de construir uma estátua de Pinto da Costa no jardim da habitação.

E nem é preciso falar ou sequer conhecer Domingos para perceber isso. Quem espreita além dos portões e muros azuis-e-brancos da moradia deste antigo emigrante no Luxemburgo tem um vislumbre de todo um mundo portista, desde os vidros das janelas da casa e dos mais de 300 objetos alusivos aos dragões, espalhados pelo jardim. Só falta mesmo a estátua ou um busto de Pinto da Costa, sonho antigo do portista.

No ponto central do jardim, um dragão num pedestal que é “o orgulho” de Domingos. Mais à frente, duas bandeiras, uma oficial e outra artesanal, bailam ao sentido do vento, acompanhadas por uma réplica em louça da Taça da Liga dos Campeões.

Ao fundo, um canhão de guerra, com soldadinhos de chumbo que ostentam pistolas, devidamente apontadas para uma águia e um leão, azuis, que Domingos fez questão de colocar “sob ameaça”.

Maior portista de Vila Verde (c) FAS / Semanário V

Esta obra de um adepto fervoroso do mundo do futebol começou quando Domingos voltou do estrangeiro. “Comecei a comprar umas peças, a adaptar e a pintar outras, e em dois anos pus isto assim. Foi uma forma de agradecer ao FC Porto e ao Pinto da Costa que me ajudaram muito enquanto eu estive no estrangeiro. Era uma alegria que davam sempre que ganhavam”, conta.

Adepto do presidente do clube do dragão, Domingos confessa que só lhe falta uma “estátua do Pinto da Costa” para poder ter o jardim com que sempre sonhou. “Pode ser que um dia ele queira vir aqui e me ofereça um busto”, vinca o adepto que, antes de deixarmos o n.º 25 da Rua dos Combatentes, em Cabanelas, fez questão de voltar a reforçar que é “o maior portista de Vila Verde”.

“A prova disso é que já só tenho medo de morrer é por causa do Porto”, vinca o adepto que não tem visto alguns jogos por temer complicações cardíacas.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista