Vila Verde

Cultura. Jaime Ferreri apresenta ‘A minha filha Inês’ na Biblioteca de Prado

Redação
Escrito por Redação

Romancista, cronista, poeta, encenador e dramaturgo. Jaime Ferreri tem múltiplas paixões e ofícios, que conjuga harmoniosamente com a carreira profissional de docente de Matemática e Informática.

Um homem de inúmeros talentos que chega à Vila de Prado para apresentar o seu mais recente romance, ‘A minha filha Inês’. A sessão está marcada para as 21h do próximo dia 25 de maio, na Biblioteca Comendador Sousa Lima, em Prado.

A apresentação da obra estará a cargo de Fátima Lobo, docente da Universidade Católica de Braga. Um momento cultural que se perspetiva de grande qualidade e que vem enriquecer em sobremedida a agenda da vila. A entrada é livre e aberta a toda a população.

Para aguçar a curiosidade e conhecer melhor o romance de Jaime Ferreri, debrucemo-nos sobre a sinopse elaborada por Fátima Lobo. “A minha filha Inês”, romance de Jaime Ferreri, 1ª edição de 2017, transporta-nos à segunda metade do século passado ousando pisar, já resolvidos os encontros e desencontros que marcaram as diversas personagens, a primeira década deste século.

Dedicado à “mulher” (como definição do coletivo feminino que o autor gera), aborda o passado recente em ditadura, a guerra colonial, a liberdade que chegava a galopes de loucura por tantos freios sonegada”, escreveu Fátima Lobo, acrescentando que, “por ele perpassa a ternura e o amor que deve adoçar o poder do paternalismo que destronou a Deusa-Mãe, mas que vive nesta Mátria nas formas da Mãe-Natureza e no coração de matriz céltica que muitos homens receberam por educogenia”.

Nascido e criado na Ponte da Barca (Bravães), Jaime Ferreri começou nestas lides há mais de trinta anos e desde então nunca mais parou, como podemos perceber pela biografia apresentada na plataforma digital ‘Viral Agenda’.

“A minha filha Inês”  é último romance deste escritor, nascido em Bravães, Ponte da Barca, que se iniciou nas lides literárias em 1986, com a publicação da novela intitulada ‘Cabrito Montês’, muito bem-recebida pela critica e pelo público.

Seguiram-se depois os romances ‘Fizeram de mim soldado’, publicado em 1992 e ‘Os homens também hibernam’ em 1995. Em 2005 publicou um livro de crónicas ‘Crónicas (des)alinhadas’ e um livro de poesia ‘Pecúlio’.

A mesma fonte indicou ainda que “Jaime Ferreri vive em Ponte da Barca e, a par de uma dedicada carreira docente na área da informática e matemática, desenvolveu o gosto pela criação literária e pela dramaturgia, tendo ao longo dos anos encenado inúmeras peças de teatro, com particular destaque para as encenações anuais, por altura da Semana Santa, de ‘A Mui Dolorosa Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo’, no mosteiro de Bravães, Ponte da Barca”.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação