Destaque Vila Verde

Comércio. Vila Verde já tem um estúdio de tatuagens

(c) FAS / Semanário V
Fernando André Silva

Em ambiente descontraído e entre amigos, Pedro Eman e Barb Maria inauguraram no passado sábado o primeiro estúdio profissional de tatuagens de Vila Verde. Vindos de Braga, onde têm o estúdio “Pedro Eman” no Braga Shopping, abrem a nova filial nas galerias comerciais de Vila Verde, em frente à Misericórdia.

O novo estúdio conta ainda com o trabalho do artista tatuador lusoalemão Ricardo Hess, como explica o casal que abriu ao público esta terça-feira. Barb e Pedro acreditam que é possível um estúdio de tatuagens vingar em Vila Verde.

“Estamos há alguns anos em Braga e temos muitos clientes de Vila Verde, Amares, Terras de Bouro… Alguns começaram a sugerir que instalássemos um estúdio nesta região e então decidimos abrir em Vila Verde”, conta Pedro, apontando a região de Braga como “evoluída” na mentalidade sobre esta arte.

“Os emigrantes desta região vão para outras cidades europeias onde a mentalidade é mais aberta em relação às tatuagens e isso depois nota-se quando chegam cá cheios de vontade de experimentar. É que lá fora o preço é mais elevado”, aponta.

E experiência internacional não falta aos proprietários do estúdio. Pedro já deu formação a tatuadores na Alemanha, Luxemburgo, Suiça e no Canadá, este último durante um dos mais importantes congressos mundiais de tatuagem.

“Ele foi dos primeiros tatuadores do Porto”, conta Barb. “Abriu um estúdio e começou a dar formação privada a outros tatuadores, numa espécie de discípulos / mestre aprendiz, tendo formado vários que posteriormente abriram os próprios estúdios”. “Depois de abrirmos loja em Braga, o Pedro começou a gostar mais da mentalidade das pessoas de Braga”, refere.

“Começou a haver dificuldade em conciliar os estúdios do Porto e de Braga. Ele acabou por abraçar o estúdio com mais liberdade artística. Porque os clientes de Braga mostraram-se mais expansivos e abertos ao estilo que ele gosta como artista.

Barb aponta Braga como uma “cidade universitária, constantemente cheia de turistas, jovem mesmo com todas as igrejas e monumentos”. Segundo a artista tatuadora, grande parte da comunidade emigrante portuguesa vem esta região.

Barb é também especialista em micropigmentação e reconstituição de falhas de pêlo ou de sequelas de cancro como a reconstituição da aréola mamária. “É uma técnica inspirada nas tatuagens que serve também para pessoas que ficam com falhas de sobrancelhas e para disfarçar pequenas cicatrizes”, explica.

Com os anteriores estúdios passados a aprendizes, a dupla aposta agora em Vila Verde para complementar a loja de Braga, enquanto continua o périplo internacional por congressos e a tatuar em estúdios a pedido de emigrantes.

“A liberdade é a nossa maior inspiração”

Preço mínimo? 30 euros. “Dependo do tamanho e do estilo que pretendem”. Quanto aos horários, o estúdio está aberto segunda a sábado 10h30 – 12h30 / 14h30 – 17h. “Em casos pontuais podemos abrir a feriados e domingos, mas só com marcação”.

“Fazemos coisas personalizadas, evitámos fazer cópias”, reforça Pedro, que tem no “tudo” a inspiração do dia-a-dia. “Até ao passear na rua podemos buscar inspiração para uma tatuagem. Mas a maior inspiração é a liberdade artística. O cliente diz os elementos que quer na tatuagem e dar-nos a liberdade para transformarmos a ideia numa tatuagem com o nosso traço e aí a inspiração vem naturalmente”.

Pedro Eman foi recentemente distinguido por entre os pares na última convenção de tatuagem do Porto, onde venceu o primeiro lugar na categoria mais concorrida de todas. “Realismo Black & Grey”, aponta Barb. “É a categoria que usa escala de cinza e traços a preto e sombreado, que é também a preferida dos portugueses, logo é a que existem mais tatuadores”, explica. Já Pedro diz que o melhor prémio “é ver um cliente com uma tatuagem bem executada”.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista