Braga Cultura

Aclamado pianista e compositor norte-americano Peter Broderick atua amanhã em Braga

Redação
Escrito por Redação

Músico, compositor, cantor e membro dos Efterklang, Peter Broderick é dono de uma carreira de referência na música contemporânea. Em Braga, apresentará o aclamado Partners (2016) e All Together Again (2017), uma coleção de peças comissionadas ao longo de uma década.

Nascido em 1987, o multi-instrumentalista, compositor e cantor norte-americano Peter Broderick é dono de uma carreira de referência na música contemporânea. Enquanto jovem, teve uma presença ativa na cena indie da sua terra-natal, Carlton, Oregon. Em 2007, Broderick atravessou o oceano e mudou-se para a Dinamarca, onde iniciou uma longa e estreita colaboração com os Efterklang, integrando as digressões ao vivo do grupo nos cinco anos seguintes. Nesse período gravou vários discos a solo. Da abordagem neoclássica do piano em Docile ou Float à composição folk de Home, Broderick experimentou diferentes géneros. A somar, via-se convidado para escrever peças sonoras para cinema e dança contemporânea. A mudança de residência para Berlim permite a Broderick conhecer e colaborar com artistas similares como o pianista alemão Nils Frahm, dando origem ao projeto Oliveray, e o compositor inglês Greg Haines, com quem forma o duo Greg Gives Peter Space.

Com obras discográficas como How They Are, These Walls of Mine ou Colours Of The Night, Broderick conquistou a atenção de tudo e de todos, tornando-se num dos mais respeitados nomes da música contemporânea dos dias de hoje. Em 2016, com Partners, decide prestar uma homenagem à obra de John Cage, um dos mais importantes e celebrados compositores do século XX. Com selo pela Erased Tapes, casa de importante referência e teto para muitos dos trabalhos de Broderick, Partners debruça-se sobre In a Landscape, peça de Cage que o confesso admirador utiliza como catalisador para o este trabalho e para uma reaproximação ao piano.

Na reta final de 2017, Peter Broderick lançou All Together Again, uma coleção de trabalhos resultantes de diferentes encomendas e que, simultaneamente, fazem o balanço de uma década. Neste disco, encontram-se peças para filmes, passagens de modelos, casamentos e ainda uma canção escrita a pedido de um amigo como prenda para a sua esposa no primeiro aniversário de casamento. Broderick descreve o disco como “um corpo coeso” de peças delicadas, íntimas, indicadoras de diferentes estados de espírito que, com ou sem voz, marcam a distinta e infinita classe do compositor.

Partners e All Together Again são os dois discos que o músico apresentará tranquilamente sentado ao piano, essa mesma tranquilidade que o jornal britânico The Guardian outrora descreveu como “soberba”.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação