Braga

Economia. Braga é o terceiro concelho mais exportador do país

(v) Mariana Gomes / Semanário V
Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

Os objetivos traçados em 2014, com o plano estratégico para o desenvolvimento económico, foram superados, com um aumento assinalável das exportações nacionais.

No âmbito da semana da economia de Braga, a InvestBraga anunciou que o volume de exportações da cidade cresceu 35% no ano passado, tornando-se o sétimo concelho mais exportador do país, segundo dados do INE. No entanto, “em termos reais, Braga é o terceiro concelho mais exportador do país”, se agregarmos as empresas localizadas em Braga, com sede em Lisboa. Braga exportou mais de 2 mil milhões de euros, valor este que contribuiu para o emprego, para a criação de riqueza e para todos os serviços de comércio, habitação e turismo. Recorde-se que, em 2016, Braga entrou pela primeira vez no top 10 das exportações em Portugal.

Durante o Fórum Económico “Inovação e Investimento” para a atualização do plano estratégico para o desenvolvimento económico de Braga 2014 2016, o presidente da InvestBraga, Carlos Oliveira, num balanço da atividade da empresa, adiantou que as exportações de bens e serviços tiveram um aumento de 101% entre 2013 e 2017 e confirmou a criação de mais de oito mil postos de trabalho nos últimos quatro anos. O objetivo inicial era criar 500 postos de trabalho anuais, no entanto, desde 2014 foram criados dois mil por ano, tendo-se registado uma redução de 49% no desemprego A InvestBraga tem vindo a fazer esta dinamização económica com base numa economia apoiada “no conhecimento, na inovação, na modificação e no talento”. Carlos Oliveira explica que “os grandes objetivos da InvestBraga são colocar Braga no radar do investimento, apoiar e dinamizar a economia, apoiar a criação de emprego, apoiar o desenvolvimento do empreendedorismo e promover o turismo de negócios”. A InvestBraga anunciou ainda, num documento divulgado no fórum económico, que desde 2014 apoiou e acompanhou 447 projetos de investimento, tendo a Startup Braga apoiado mais de 270 empreendedores e 115 startups que criam mais de 400 postos de trabalho.

No evento, para além do presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, e do líder da InvestBraga, Carlos Oliveira, marcou presença o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, que felicitou o percurso de evolução da cidade e destacou Braga como o concelho com forte dinamismo. “Braga demonstra que deu um contributo importante para o crescimento das exportações de Portugal. Braga pode-se orgulhar de ter um conjunto de empresas que estão a contribuir para o crescimento do país”, afirmou Manuel Caldeira Cabral, reforçando que, muitas vezes, estimula embaixadores a sair da capital, “não porque em Lisboa não possam encontrar exemplos interessantes, mas porque o país é mais do que Lisboa, com exemplos igualmente surpreendentes. Muitos destes embaixadores reportam a surpresa que tiveram em Braga, com as empresas, os projetos e o dinamismo que encontraram nesta cidade.”

Num debate dedicado ao tema “Inovação e Investimento”, marcou presença, também, o comentador político, Luís Marques Mendes, que afirma que as empresas têm três grandes desafios: a digitalização, a inovação e a internacionalização. “Estamos a viver um bom ciclo, no plano interno e no plano externo. Portugal está na moda por duas razões: o défice zero aumentou-nos a credibilidade e somos dos poucos países sem crise de identidade”. Além destas personalidades, o fórum económico contou com a participação do “keynote speaker”, Douglas Hart, do MIT, cuja intervenção se baseou no tema da inovação.

O Ex-reitor da Universidade do Minho, Carlos Ribas, administrador da Bosh e Luís Castro Henriques, presidente da AICEP, foram outros presentes no evento. Num evento de Inovação e Investimento, a InvestBraga afirma que pretende passar do conceito “made in Braga”, para “invented/designed in Braga”.

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista