Braga Desporto Destaque

Rússia 2018. Seleção chega este domingo a Braga. Sem Cristiano Ronaldo

Redação
Escrito por Redação

A comitiva da seleção portuguesa de Futebol chega este domingo a Braga para preparar o encontro da próxima segunda-feira, frente à Tunísia, no Estádio Municipal.

Fernando Santos, treinador da equipa das quinas, dispensou esta manhã os jogadores que agora voltam aos trabalhos já na ‘cidade dos arcebispos’, onde iniciam novos treinos a partir das 18 horas.

Para depois do treino, às 19.30 horas, está marcada a conferência de imprensa de Fernando Santos, que fará a antevisão à partida com a Tunísia.

Gonçalo Guedes, João Moutinho, Rui Patrício, Bruno Fernandes e Gelson Martins ainda não se juntaram à comitiva, não devendo jogar em Braga.

Cristiano Ronaldo, que disputa hoje a final da Liga dos Campeões ao serviço do Real Madrid (frente ao Liverpool), também não joga no Municipal.

O jogo está marcado para esta segunda-feira, às 19h45.

Portugal e Tunísia encontraram-se somente uma vez, empatando 1-1 num particular em Lisboa, sem a importância que o desafio de segunda-feira em Braga tem para o moral das equipas, a duas semanas de começarem o Mundial2018 de futebol.

No dia 12 de outubro de 2002, no Estádio do Restelo, cerca de 10.000 espetadores viram Pauleta marcar, aos cinco minutos, antes de Ali Zitouni empatar, aos 43, num jogo em que Sérgio Conceição, agora treinador do FC Porto, foi titular luso.

As equipas ainda recuperavam animicamente de um mau desempenho no Mundial do Japão e Coreia do Sul, que em Portugal ditou a saída de António Oliveira de selecionador, substituído por Agostinho Oliveira, no qual foram afastadas logo na fase de grupos.

Agora, os oponentes encontram-se no período da ilusão, a de Portugal justificar o título de campeão da Europa e tentar melhorar o terceiro lugar de 1966 de Eusébio e o da Tunísia em passar pela primeira vez a fase de grupos, o que não se afigura fácil, já que encontra a Inglaterra, Bélgica e Panamá no grupo G.

Fernando Santos e os seus pupilos estreiam-se no grupo B com a Espanha, em 15 de junho, em Sochi, segue-se Marrocos, no dia 20, em Moscovo, e finalmente o Irão de Carlos Queiroz, em 25 de junho, em Saransk.

Até lá, e além do desafio com a Tunísia, os campeões da Europa afinam a estratégia com a Bélgica em Bruxelas, em 02 de junho, concluindo a preparação com a Argélia de Rabah Madjer, Brahimi e Slimani no Estádio da Luz, no dia 07, dois dias antes da partida.

Portugal vai para a sétima presença em mundiais, sendo que tem ainda um quarto posto em 2006 na Alemanha e os oitavos de final em 2010 na África do Sul: no México1986, Japão/Coreia do Sul2002 e Brasil2014 não passou da primeira fase.

A Tunísia, que em 2004 venceu a Taça das Nações Africanas, que organizou, no seu resultado internacional mais relevante, vai para o seu quinto mundial: nos quatro anteriores tem unicamente um triunfo, exatamente na estreia, por 3-1 sobre México no Argentina1978, enquanto em 1998, 2002 e 2006 empatou um jogo e perdeu os outros dois.

A seleção das ‘quinas’ ocupa a quarta posição do ranking FIFA, somente atrás da campeã mundial Alemanha, Brasil e Bélgica – a Tunísia é 14.ª, o seu melhor registo de sempre, cotando-se como a mais bem classificada formação africana, seguida pelo Senegal, apenas em 28.º, enquanto Marrocos, adversário luso na Rússia, é 42.º.

Fernando Santos já definiu a lista dos 23 futebolistas a representar o país, mas o seu homólogo tunisino Nabil Maaloul trabalha, para já, com 29 atletas, número que encurtará após o encontro de sexta-feira com a Turquia, na Suíça — a data limite da lista para a FIFA é 04 de junho.

A equipa, que procura a primeira vitória em mundiais desde 1978, é liderada por Nabil Maaloul que foi internacional 74 vezes pela Tunísia e já treinou o Kuwait.

O técnico de 56 anos foi adjunto de Roger Lemerre no último mundial em que o conjunto norte-africano participou, na Alemanha em 2006, e foi o futebolista mais jovem da sua nação nos Jogos Olímpicos de 1988, em Seul.

Já na Rússia, a Tunísia faz o último teste dia 09 em Krasnodar frente à Espanha, precisamente com quem a formação de Fernando Santos principia a competição, seis dias mais tarde.

Em março, Portugal fez experiências na Suíça, ganhando por 2-1 ao Egito, com dois golos de Cristiano Ronaldo já nos descontos, e perdendo 3-0 com a Holanda, que falhou o apuramento.

Na segunda-feira, no início do estágio, o selecionador Fernando Santos reafirmou que Portugal “é candidato, mas não favorito” a conquistar o Mundial2018 e considerou que o objetivo mínimo é chegar aos oitavos de final.

 

 

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação