Opinião Paula Ferreira

Opinião. Maio: O mês do coração

Paula M. Ferreira
Escrito por Paula M. Ferreira

Tradicionalmente, maio é já conhecido pela população portuguesa, como sendo o mês dedicado à prevenção das doenças do coração. Durante este período, os meios de comunicação social, a Sociedade Portuguesa de Cardiologia, a Direção Geral de Saúde, entre outros, promovem iniciativas com o objetivo de elucidar as populações acerca dos principais fatores de risco para desenvolver doenças cardiovasculares e respetivas estratégias preventivas. Algumas instituições prestadoras de cuidados de saúde promovem rastreios para a deteção de níveis de açúcar e colesterol aumentados no sangue, de situação de tensão arterial elevada, assim como sessões de esclarecimento sobre hábitos de vida saudável, nomeadamente conselhos alimentares e a importância do exercício físico.

É também durante o mês de maio que se comemora o dia Internacional da Família e o dia do Médico de Família (15 e 19 de maio, respetivamente). O coração tem, desde sempre, a conotação de estar associado ao amor, à família e à união. Neste sentido, torna-se interessante refletir sobre a importância da comemoração destas datas no mês da prevenção das doenças cardiovasculares: a importância da família como promotora da saúde e o seu papel fundamental na prevenção da doença e a relevância do médico de família na prevenção da doença e, na sua impossibilidade, na tentativa de controlo da mesma e do seu impacto nos restantes elementos do agregado familiar. Porque a prevenção das doenças cardiovasculares começa precisamente no seio das famílias: as refeições são um ato social e familiar, pelo que os hábitos de uma alimentação saudável começam à mesa, quando as crianças iniciam as refeições com os pais.

O exemplo dos pais será, muito provavelmente, imitado pelos filhos, pelo que uma casa livre de fumo de tabaco, em que o exercício físico seja uma constante (idas ao parque, brincadeiras ao ar livre, andar de bicicleta…), aumenta a probabilidade de que as crianças de hoje repitam este ritual um dia com os seus próprios filhos. O respeito, a partilha e o amor no seio familiar promovem a saúde física e mental, levando a uma procura mais ativa de estilos de vida saudáveis, assim como a uma maior sensação de plenitude e realização. E, por fim, o ato de cuidar é também uma forma de amor: o empenho de cada profissional de saúde no ato de educar, prevenir e tratar a doença tem sido fundamental para os enormes ganhos em saúde que temos observado ao longo das últimas décadas. Desta forma, comemore-se maio com um maior cuidado com a nossa saúde e com um maior empenho na nossa vida familiar!

Comentários

Acerca do autor

Paula M. Ferreira

Paula M. Ferreira

Médica especialista em Medicina Geral e Familiar