Braga Destaque

Pilotos de toda a Ibéria vão acampar no Aeródromo de Braga

Fernando André Silva

Acampar sob a asa de um avião com o céu estrelado em vista panorâmica. Este é um dos motes do AeroCamping 2018, que conta já com a sexta edição na cidade de Braga.

Com organização do Céu Listrado Clube Aeronáutico, o evento desdobra-se em dois dias que prometem trazer muita animação nos céus de Braga, mas também em terra, no Aeródromo Municipal de Braga, onde é esperado um lanche/jantar convívio, uma exposição de aeronaves e claro, a “jóia da coroa”; o AeroFootball Championship (jogo de matraquilhos humanos).

O Semanário V falou com André Almeida, responsável pela comunicação do clube aeronáutico bracarense, que explica os princípios pelos quais foi criado este acampamento e por que razão todos devem participar.

“O evento começou com a organização do Céu Listrado. Somos cerca de uma dezena de elementos que estamos a organizar este evento, mas o clube conta com perto de meia centena de associados, das regiões de Braga e Porto, que têm no Hangar n.º 5 do Aeródromo Municipal de Braga a sede”, revela o responsável também pela área do Marketing.

“Este é o único acampamento deste género no país. Tentaram criar um em Benavente o ano passado mas não resultou”, explica André, revelando o interesse para a cidade em albergar este tipo de eventos aeronáuticos.

“Este evento é voltado para os nossos sócios mas também para outros aeroclubes. A ideia é encher o aeródromo com aviões vindos de vários pontos de Portugal e Espanha”, revela. E já estão confirmados vindas do país vizinho, onde a ‘aficcion’ pelos desportos aéreos está mais implementada.

“Este ano temos a presença de muitas aeronaves espanholas que já estão confirmadas, perto de uma dezena. É que em Espanha há mais eventos deste género, que geralmente é mais popular nos países da América do Norte”, explica.

Outro dos motivos que levou o clube a começar com esta “tradição” foi criar uma nova envolvência entre o aeródromo e novos públicos que possam surgir. “A nossa atividade é voltada para os sócios e para outros aeroclubes. A ideia é trazer o máximo de aviões para o aeródromo. Habitualmente é utilizado pelos pilotos dos clubes e por paraquedistas, mas fora disso não há muitas atividades abertas à comunidade ou à sociedade civil”, explica.

“A nossa ideia é atrair mais movimento e levar pessoas que não conhecem o mundo da aviação a terem mais curiosidade. Um dos objetivos da nossa associação é mesmo esse, divulgação do mundo aeronáutico e quanto aos objetivos do evento, também passa por trazer novos pilotos à cidade de Braga. Somos uma associação sem fins lucrativos. O que nos move é a paixão pela modalidade”, vinca.

Programa para os dois dias

A ideia da programação do evento é proporcionar uma tarde de convívio entre pares para culminar com um acampamento ao lado dos aviões. Os pilotos participam no evento durante o dia 9 e à noite montam a tenda debaixo da asa do avião. A asa acaba por criar a estrutura perfeita para montar a tenda. Durante o dia temos comes e bebes e a partir das 17h os visitantes podem começar a comer. Para quem andar no ar, vão-se proporcionar batismos de voo, para quem nunca tenha experimentado e o queira fazer. “Quem nunca voou num ultraligeiro tem agora a possibilidade de voar pela cidade de Braga ou arredores durante 20 minutos, e sentir a adrenalina do voo”; explica André. À margem, vai ser ainda realizada uma exposição de aves de aeromodelismo, pertencentes a um dos sócios do clube.

Mas a “jóia da coroa” é mesmo o AeroFoobtall Championship, aponta André. “Vamos ter um campo de matraquilhos humanos e esse evento insere-se na CED Braga 2018. Com isto pretendemos atrair a comunidade em geral, uma vez que está aberta a todos. Vamos fazer equipas de seis pessoas, mas mesmo que alguém queira jogar sem ter equipa, isso poderá ser arranjado, só precisam é de aparecer”, vinca.

Para além dos eventos já apontados, há ainda voos de formação e a oferta de um salto de páraquedas, patrocinado pelo Semanário V e pela empresa de saltos Sky Dive. “Vai ser uma campanha feita pelo Facebook onde quem quiser ganhar direito a um salto tem de fazer gosto na nossa página e dos nossos parceiros e ainda identificar três amigos na publicação. O sorteio vai ser aleatório e o vencedor ganha um salto, no dia 9, a uma altura superior a três mil metros de altitude.

História do Céu Listrado Clube Aeronáutico

Sobre a associação, fundada em 2007 por alguns elementos que entraram em rota de colisão com o Aeroclube de Braga, André Almeida explica que, a curto prazo, um dos objetivos passa por terem um hangar do clube, uma vez que aquele que utilizam é alugado. “Também queremos crescer no número de massa associativa. Esse é um dos nossos anseios”, explica.

Para o hangar, têm estado em contacto com a Câmara de Braga mas “não está fácil”. “Outro dos nossos objetivos é crescermos o suficiente para podermos ter um avião oficial. O nosso é experimental, não é montado por uma empresa certificada. Vem em peças e nós é que tivemos de o montar. Depois foi acreditado pela ANAC”, explica, revelando ainda um objetivo a longo prazo de alguns dos sócios.

“Alguns dos nossos elementos têm o objetivo de entrar para a aviação civil. Para isso precisam de comprar o avião ultraligeiro certificado pois só isso permite que se tire um PPA (brevet de ligeiro) que depois dá acesso a trabalhar para alguma companhia aérea comercial”, diz, explicando, no entanto, a diferença na pilotagem dos dois tipos de aviões.

“Os aviões civis têm automatismos para quase todas as funções. Basicamente o piloto não tem de fazer grande coisa, decolagem, aterragem, o próprio voo, acaba por ser tudo automático. Já nos ultraleves ligeiros é necessário fazer tudo à mão. Temos alguns pilotos da aviação civil que quando pegam num ultraligeiro nem sabem muito bem o que fazer”, aponta André.

Sobre o futuro do evento realizado pelo clube, André refere que “tem crescido de ano para ano”. “Tentamos pedir apoios mas sozinhos temos conseguido. A edição do ano passado foi, a vários níveis, a melhor de sempre, e gostaríamos de ultrapassar a escala este ano”.

“Toda a cidade de Braga está convidada a aparecer no aeródromo, ir ter lá connosco, nem que seja para tomar um café. Também os amantes de campismo, como escuteiros, por exemplo, estão convidados a participar no acampamento”, finaliza o responsável.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista