Andreia Santos Opinião

Opinião de Andreia Santos. Cristiano Ronaldo

Andreia Santos
Escrito por Andreia Santos

O mês de Junho já vai a mais de metade. Está finalmente calor e por toda a parte há um colorido de Campeonato do Mundo. Pois… o pontapé de saída aconteceu na Rússia pela primeira vez, com a seleção anfitriã a ganhar por 5-0 à Arábia Saudita. As 32 equipas deste 21o Mundial já estão a jogar e eu confesso, gosto muito da emoção associada a esta festa do Futebol. É bom sentir que globalmente há algo que une as pessoas e as faz vibrar, chorar de rir e com batimento cardíaco acelerado festejar com força o poder das suas equipas. Creio que foi assim a passada Sexta Feira para muitos portugueses e não só… O Portugal – Espanha teve um herói, um capitão que obrigou os jornais internacionais a escrever em português e o Paddy Cosgrave, que nos visitou há pouco com a sua Web Summit, a sublinhar as características sobrenaturais do Atleta: “Possibly Not a Human”, foi o que se leu no seu Twitter. Sim, é sobre ele que hoje quero também eu escrever.

Cristiano Ronaldo foi a minha alegria. Chegue onde chegar Portugal neste campeonato (e eu acredito que irá longe, até ao fim e para ganhar), foi muito bom de ver o craque português marcar o livre do empate com sabor a vitória. Pelo empate, claro! Mas pelo que gosto de observar nos grandes atletas, pela confirmação: não basta a força física, a força mental é determinante do rendimento desportivo. Cristiano Ronaldo parou o mundo inteiro para o ver respirar, focar-se e marcar. Assim foi. A sua resiliência emocional é incrível, como disse o Scolari: “Nada tira o foco a Cristiano Ronaldo”. Os minutos que antecederam a marcação do livre mostraram a força de vontade e o foco do jogador. Muito se tem escrito e dito sobre as chuteiras especiais, as coxas maiores que o normal, a velocidade supersónica que atinge… tudo verdade, tudo trabalho. (Desde o teste da Castrol que Ronaldo dá mais nas vistas ainda). Acrescento, usando as palavras do Goleman: “O ponto ideal para a tomada de decisões inteligentes vem, não apenas do facto de se ser um especialista dominante, mas também de uma auto-consciência elevada”. Ronaldo soube “não se distrair com as vozes internas” que lhe provocariam pressão e potencialmente a falha do livre, usando a técnica para as silenciar. Desde há muito que o jogador é Super Treinado, mantendo alguns princípios que o próprio nos indica como fundamentais, entre estes a importância do treino mental, da disciplina de cumprir a rotina criteriosamente, de estabelecer objetivos de melhoria, de dormir bem, (deitar cedo e levantar cedo sobretudo em dias de jogo) e da recuperação física, do tempo passado em família e com aqueles de quem se gosta e que gostam de nós, de ouvir música e relaxar para garantir o mindset positivo.

Estas características distinguem-no e ajudam-nos a compreender que realmente o trajeto para se ser bem sucedido passa por muito trabalho, baseado em cedências e determinação. É Ronaldo quem gere as distrações e não ao contrário. Há quem lhe chame “máquina de treino”, Evra não recomenda o almoço com o CR7. Não há dúvidas de que tem ambição e sabe onde quer chegar, sem limites: ao triunfo de tudo. Tem visão e está  cada vez mais rigoroso e assertivo. A Telstar 18 vai voltar a rolar amanhã aos seus pés, que o jogo seja em GRANDE como a vontade do capitão e nossa. Até já!

Comentários

Acerca do autor

Andreia Santos

Andreia Santos

Psicóloga Clínica e da Saúde Formadora Profissional