Braga

Festas populares. Manuel Ferreira é do Porto mas já só quer o São João de Braga

Partilhe esta notícia!

Manuel Ferreira, 75 anos, natural e residente no Porto, há 20 anos que não vai à zona ribeirinha do Douro para festejar o São João, mas há cinco anos, que não perde um São João de Braga.

Chegado ao centro da cidade, sozinho e munido de uma cadeira desmontável, procurou uma das melhores zonas com sombra que o protegessem do forte calor que pairava sob a Praça do Município, ontem à tarde, aquando da sessão de abertura das festas de São João de Braga.

“Ah… É mesmo aqui que eu fico”, disse, provocando boa disposição por entre os presentes que, de pé, miravam o cortejo das várias bandas filarmónicas e grupos folclóricos do concelho de Braga.

Ao Semanário V, o portuense, antigo motorista da Câmara do Porto, explica que o que mais o atrai no São João de Braga são as bandas filarmónicas.

(c) FAS / Semanário V

“Eu gosto muito das bandas. Este é um espetáculo muito bonito que não existe no Porto. Sabe que lá o São João é feito pelo povo. Aqui parece uma coisa mais institucional”, diz Manuel, apontando ainda as procissões da festa como um “momento digno de ser apreciado”.

“No São João do Porto também não há procissão. Aqui é muito bonita. Também já vi as da semana santa e sei que Braga prepara bem estes cortejos religiosos”, disse ainda Manuel Ferreira.

Questionado sobre o porquê de estar em Braga e não no Porto, o gondomarense refere que “o São João do Porto é muito violento” para um homem de 75 anos.

“Quando eu era novo gostava muito de andar na rua com os alhos porros e os martelos mas agora já não tenho idade para isso. Há 20 anos que não vou ao São João do Porto. É verdade. Agora tenho vindo a Braga e até já fiz alguns amigos que nos vamos encontrando, também apreciadores de música filarmónica. Constumámos almoçar sempre no São João. Isso também ajuda a que eu venha cá”, explica.

Abertura do São João juntou instituições do concelho

A abertura oficial das festas de São João atraiu centenas de pessoas à Praça do Município, em Braga, para assistirem às condecorações feitas por Ricardo Rio às instituições do concelho.

Os diversos ranchos folclóricos, tunas universitárias e bandas filarmónicas puderam demonstrar um pouco da arte cultural em primeira mão, perante um palanque onde estavam presentes os diversos partidos políticos, autarcas e executivo municipal do concelho de Braga.

O momento alto da inauguração das festas foi quando foram lançados confétis das janelas do edifício da Câmara de Braga para a praça, confétis esses que serviram também como distração momentânea das cerimónias protocolares por parte do presidente da junta de São Víctor, Ricardo Silva.

 

Comentários

topo