Destaque Região Terras de Bouro

Leia o emocionante discurso do novo comandante dos Bombeiros de Terras de Bouro

Redação
Escrito por Redação

José Amaro tomou posse como novo comandante do corpo dos Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro.

“Foi com um misto de manifesto orgulho, grande inquietação e imensa incerteza que aceitei o convite para liderar o Corpo de Bombeiros desta prestigiada Associação. Manifesto orgulho, por conhecer a história da instituição. Grande inquietação por saber o quanto há a fazer para honrar essa história. Imensa incerteza por não saber se estarei à altura dos seus pergaminhos. Independentemente dos regimes políticos, das crises económicas e das dinâmicas sociais, esta instituição, ao longo da sua existência, tem sabido, com maiores ou menores dificuldades, honrar os nobres desígnios que estatutariamente lhes foram atribuídas pelos seus fundadores na década de 1985.

Nessa senda, cada homem e cada mulher que por cá passou, quer no Corpo de Bombeiros quer na Associação, deixou parte de si e do seu esforço, por vezes parte da sua própria vida. Se por mais não fosse, por estes, já valeria o orgulho de estar hoje aqui a tomar posse. Mas é sobretudo por estes que ao assumir as funções de comandante do corpo de bombeiros me percorre um sentimento de grande responsabilidade em preservar o seu legado, ao que ao comando diz respeito. Saber ler o passado, conseguir interpretar o porquê dos êxitos e dos fracassos, próprios ou alheios, é por ventura a melhor forma de no presente perspectivar um melhor futuro.

Ao assumir as funções de comando, reconheço as minhas muitas limitações para levar por diante tão difícil tarefa, sobrando-me, no entanto, empenho, humildade e força de vontade para com todos, digo TODOS, continuarmos a engrandecer, cada vez mais, esta tão nobre Instituição. Os desafios são muitos, as dificuldades serão enormes se quisermos perseguir um maior nível de desenvolvimento organizacional, técnico e operacional. Nem sempre estaremos todos de acordo, nem teremos que estar. O importante será mesmo o diálogo leal e responsável, livre de complexos e de interesses mesquinhos como dizia o Comandante José Dias, com vista a encontrar as melhores soluções para melhor servir a população. Ninguém tem a exclusividade da razão e do conhecimento, todos são importantes na construção do nosso futuro colectivo. Temos que ter a humildade de pensar que há sempre mais para aprender e para demonstrar.

Temos que nos abrir, cada vez mais, ao conhecimento e ao que comprovadamente melhor se faz no domínio do socorro. O nosso lema é Vida por Vida, mas o nosso base deve ser o servir cada vez com maior qualidade a população de Terras de Bouro que necessitam do nosso socorro, mas para servir com qualidade temos que ter, antes de mais, homens e mulheres em quantidade suficiente e com superior qualidade de execução para levarmos por diante as nossas missões. Isso apenas se consegue com um grande esforço no recrutamento de pessoas para o corpo activo.

E desde já lanço mais um desafio ao Sr Presidente da Câmara de criar urgentemente condições aos jovens da nossa terra para que eles fiquem por cá pois só assim teremos uma base para os recrutar e já agora depois de os recrutar mais outro desafio sr. Presidente há que rever o Regulamento de Concessão de Regalias já existente mas ultrapassado à realidade de hoje e sr. Presidente e sem este apoio sem regalias quase nulas que estes governos nos dá é difícil manter estes homens e mulheres que ali estavam na parada empenhados em servir a população de Terras de Bouro, também sei que, e com conhecimento próprio que não é fácil num concelho do interior do país, mas com diálogo e debate de ideias talvez se encontre algumas soluções, lanço também o repto ao sr. Vice-Presidente da Federação no âmbito mais abrangente procurar soluções junto da Liga e estes junto do poder Central arranjar soluções para que estes homens e mulheres sejam contemplados com algo de útil, palpável e principalmente visível não passar de promessas e assim ver compensado todo o seu voluntariado que durante vinte e quatro horas por dia, trezentos e sessenta e cinco dias por ano se dedicam ao serviço do país. Posto isto e deixado já o repto ao sr. Presidente da Câmara e ao Sr. Vice-Presidente da Federação por sei que quer um quer de outro que ambos muito se esforçam em prol dos Bombeiros mas Senhores Presidentes tem de ser, pois aqueles homens merecem no.

Ao Corpo de Bombeiros, a organização operacional deve-nos merecer também uma atenção especial para garantir que quando respondemos a uma situação de emergência o fazemos em condições de segurança e com adequados níveis organizacionais. Comprometo-me em absoluto com a política de gestão definida pela Direcção da Associação Humanitária do Bombeiros de Terras de Bouro e por isso entendo que para o desenvolvimento e sustentabilidade do Corpo de Bombeiros é fundamental que as pessoas cooperem umas com as outras e que exista um eficaz intercâmbio do conhecimento. As pessoas são o activo mais valioso dentro de uma organização e nesse sentido a integração de todos, o seu desenvolvimento, a justiça e a equidade serão valores que procurarei ter sempre presentes. Tenho por hábito dizer que para liderar há que respeitar cinco conceitos fundamentais; Liderar com base na amizade; Liderar com base na autoridade, Liderar com base no Respeito, Liderar com base na formação e Liderar com base na competência.

Tentarei liderar, fundamentalmente pela competência e pelo exemplo sem abdicar, contudo, de exercer a autoridade democrática do cargo, quando  ela for absolutamente necessária, sem deixar de ser o amigo sempre pronto a escutar activamente os problemas de todos, tentarei ser um líder respeitador para ser também respeitado, avaliarei e valorizarei as pessoas que comigo trabalharem, fundamentalmente, em função das suas competências, da capacidade de relacionamento e da integridade e inter-ajuda. Tentarei sempre integrar o diálogo e usar o meu melhor juízo no meu processo de decisão. Tentarei ser justo, rigoroso e integrador das diversas correntes de pensamento existentes no corpo de bombeiros. Errarei com certeza; mas tentarei que o erro seja sempre a excepção e não a regra e acima de tudo tentarei humildemente assumi-los, aprender com eles e corrigi-los com o menor dano possível. Tenho como máxima as palavras que guardei de um amigo (Barros) que há uns bons tempos atrás num jantar de amizade que realizávamos constantemente durante todo o ano “os célebres jantares do peixinho” que ele me dizia, que os insucessos, se acontecerem, devem ser assumidos prontamente pelo líder enquanto os sucessos devem ser atribuídos pelo mesmo a todos quanto para eles contribuíram. O passado diz-nos que sempre que conseguimos unir-nos e trabalhar em torno de objectivos comuns, ultrapassamos obstáculos, crescemos juntos de uma forma mais rápida.

Procurarei comprometer com todos relativamente à estratégia da gestão operacional, por isso, tentarei definir e consensualizar objectivos comuns e desenvolver uma gestão partilhada dos mesmos por todos os níveis hierárquicos. Não posso terminar sem deixar alguns agradecimentos, ao Comandante José Dias pela experiência que adquiri com ele e pela grande obra que fez em prol do Bombeiros Voluntários. Ao Comandante Gil e seu antecessor pela colaboração e ajuda que sempre se disponibilizou a esta casa. Obrigado Comandante Hermenegildo. Ao Presidente da Direcção pela confiança que deposita em mim, e sobretudo pelo brilhante trabalho que tem feito por esta casa, sem estar a exagerar posso afirmar com toda a certeza que em Terras de Bouro nos últimos anos foi a Associação que mais cresceu, mais jovens empregou, que mais enriqueceu o seu património, e muito mais tinha para dizer, mas digo, OBRIGADO PRESIDENTE. Aos meus pais pelo ensinamento do homem que sou hoje, á minha companheira pela paciência, pela ajuda, pelo apoio e por tudo pois tem sido a força de caminhar. Aos Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro Muito Obrigado, Pois Juntos Somos Mais Fortes.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação