Destaque Vila Verde

Falamos com os alunos da EPATV que inventaram ‘app’ para alimentar animais

(c) Mariana Gomes
Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

Um projeto da EPATV foi o vencedor do concurso ibérico de ideias de negócio nas escolas, ao qual concorreram várias escolas portuguesas e espanholas. Chama-se ‘easy feed animal’ e permite alimentar os animais à distância, através do telemóvel.

Ao longo deste ano letivo, os alunos do Curso Técnico de Eletrotecnia – João Gonçalves e João Mesquita – e do Curso Técnico de Produção Metalomecânica – Hugo Marques e Paulo Dias, da Escola Profissional Amar Terra Verde, juntaram-se para desenvolver um projeto empreendedor, com vista a facilitar a alimentação dos animais à distância. O protótipo tem uma componente elétrica e uma componente mecânica, que levou os alunos de duas turmas a trabalhar em conjunto na construção do projeto. Com apenas 19 anos já receberam propostas de trabalho na área e este projeto já tem um investidor espanhol, dono de fábricas de ração animal, que pretende dar continuidade ao protótipo construído pelos alunos de Vila Verde.

(c) Mariana Gomes

A ideia, segundo os alunos, é produzir a máquina em série, com a ajuda de empresas e investidores. Trata-se de uma máquina que alimenta os animais automaticamente, através de uma aplicação no telemóvel e que permite às pessoas visualizarem os animais à distância, através de uma câmara incorporada, que possibilita, também, “ver se os alimentadores estão cheios ou se estão vazios”. A máquina tem um depósito onde é guardado o alimento e, quando é acionado no telemóvel, o dispensador automático de comida liberta uma certa quantidade de ração. Além disso, a máquina têm ainda um intercomunicador que permite falar com os animais à distância. Em caso de animais domésticos, “o dono pode dar ordens e falar com ele, para que o animal se sinta mais confortável”, explicaram os alunos. Além de comida, também está incorporado um dispensador de água, com dois tubos: um com mais pressão para lavar e outro para encher.

O projeto pode ser implementado em casas, hotéis caninos, veterinários ou nas ruas para animais abandonados. “Também pode ser utilizado em algo um pouco maior, uma vacaria, por exemplo. Qualquer pessoa pode descarregar e utilizar a aplicação”. “Este protótipo é mais direcionado a empresas, devido ao seu tamanho. Se estivermos a pensar num particular, teria de ser mais pequeno”. O projeto já foi testado numa clinica veterinária e num hotel canino, onde foram feitos testes à forma como os animais reagem, à câmara e ao intercomunicador.

(c) Mariana Gomes

A ideia surgiu do professor João Martins, dono de cães, com o propósito de facilitar a alimentação dos animais à distância. “Foi um trabalho colaborativo entre professores e alunos”, que resultou no primeiro prémio na final transfronteiriça do “Concurso de Ideias de Negócio”, que teve lugar no Museu da Geira, em Terras de Bouro.

“A iniciativa contou com várias etapas. Começou com um concurso de escolas, ao qual concorreram 17 projetos só na EPATV e ganhou o ‘easy feed animal’. No concurso transfronteiriço estavam duas CIM: a CIM Cávado e a CIM do Alto Minho e a Ourense da Galiza”. O projeto UP Cávado: Empreendedorismo nas escolas teve como principal objetivo incentivar a vertente empreendedora na comunidade educativo. Foi desenvolvido no âmbito de um concurso de ideias e promovido pela Comunidade Intermunicipal do Cávado, em parceria com a CIM do Alto Minho. Em segundo lugar ficou outra escola portuguesa, com o projeto “safe student”, que pretende ajudar alunos e diminuir o bullying, e em terceiro ficou posicionada uma escola espanhola.

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista