Destaque

Vila Verde. Vereadores do PS querem manter serviço de saúde no Vade

Os vereadores do Partido Socialista na Câmara de Vila Verde, José Morais, Luís Castro e Claudia Pinto, reuniram com o diretor do ACES Gerês Cabreira, Nuno Oliveira, que tutela o centro e extensões de saúde de Vila Verde para se inteirarem de como o processo de manutenção do atendimento de saúde vai ser feito no período em que a Extensão de Saúde do Vade encerra para obras de requalificação.

“Confirmamos o que já se suspeitava, ou seja, a ARS nunca se opôs a que o atendimento fosse feito no Vade. Aliás, os técnicos da ARS transmitiram ao presidente de câmara a possibilidade de manter o serviço em funcionamento no Vade, mas este terá recusado exclusivamente porque não quis suportar os custos”, dizem os socialistas.

“É incompreensível que a Câmara não queira assumir os custos de manter o atendimento médico no Vade. Estamos a falar de valores irrisórios tendo em conta o serviço prestado e os anseios da população. Com metade do valor gasto na gala do Namorar Portugal, a Câmara assegurava o atendimento de saúde no Vade durante os seis meses em que vão decorrer as obras”, garantem os socialistas.

“Tivemos oportunidade de transmitir ao diretor do centro de saúde que a nossa opção política seria a de manter o atendimento no Vade, assegurando integralmente os custos. Os utentes do Vade são maioritariamente idosos e não se compreende que sejam sujeitos a deslocações diárias para tratamentos ou consultas de acompanhamento”, refere a mesma nota.

Os socialistas sugeriram ainda ao diretor executivo do ACES Gerês-Cabreira que mantivesse uma área de enfermagem para utentes naquela extensão de saúde, durante a requalificação, para “minimizar as deslocações a Vila Verde” e garantir “uma resposta aos anseios da população”.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo