Amares Destaque

Todos choram o desaparecimento do militar que era um “viking de carisma”

Redação
Escrito por Redação

“Um poço de vida”, “um viking de carisma”, “alguém que ensina os outros a saber viver”, são alguns dos elogios fúnebres que têm surgido nas últimas horas após o trágico falecimento de Miguel Viana, militar da GNR.

A sociedade em geral ainda está em choque, desde Amares, de onde é natural e onde residia atualmente até ao Algarve, onde colegas militares da GNR choram o desaparecimento de “uma grande alma”, numa colisão que retirou a força de viver ao jovem de 30 anos.

Figura carismática na terra que o viu nascer, Miguel Viana tinha uma paixão pelas duas rodas, e era conhecido por entre o mundo motard, não só como militar da GNR, mas como um verdadeiro apaixonado pelas duas rodas, tendo organizado o evento “Pistões Bike Club” nas últimas Festas D’Amares.

Miguel exercia serviço como militar da GNR no posto da Póvoa de Lanhoso, que vive momentos de extrema consternação, partilhando a dor com os familiares, amigos e toda a vila de Amares, que acarinhava Miguel Viana. Nos corredores daquele posto, as lágrimas são constantes nos olhos de militares que com ele partilhavam a “força de viver” de um guarda que era exemplar no seu serviço mas que nunca deixou de ter o carisma pessoal que o distinguia dos demais, não só a nível profissional como no trato com os outros.

Miguel partiu cedo demais, aos 30 anos, deixando para trás uma rasto de tristeza, lágrimas e revolta por entre os que lhe eram mais próximos. Através das redes sociais, esta sexta-feira não está a ser como as outras. O luto e as homenagens espalham-se por entre páginas e perfis pessoais de amigos e conhecidos do militar.


Ainda não é conhecida a hora das cerimónias fúnebres que devem decorrer na freguesia de Dornelas, em Amares, de onde Miguel Viana era natural.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação