Andreia Santos Opinião

Opinião de Andreia Santos: “Férias”

Andreia Santos
Escrito por Andreia Santos

Estou a escrever-vos hoje cedinho. O dia está claro e promete. O sol aparece sempre e traz consigo o amanhecer. Estamos em Julho e este é um mês de maior reflexão para mim. Um momento em que habitualmente passo a fita atrás e acabo grata e com a visão do que virá. Estou quase de férias e isso acalma, ajudando a redescobrir o que é importante. Há pouco tempo li um apontamento interessante e que irei seguir mais ainda: “tira algum tempo em cada mês para anotar o que tem pouco valor ou valor nenhum na tua vida. A seguir, compromete-te a limpar essa “tralha”. A princípio pode ser duro, até provocar angústia, mas há medida que o tempo passar, dizer que não a coisas estúpidas é fantástico”. E há de facto muita coisa a que não deveríamos dar a nossa atenção. E sim, viver o nosso tempo, significa compreender quais são as prioridades, o que será mais especial e arranjar forma de manter a integridade e ser feliz.

As prioridades pessoais devem estar alinhadas com os nossos valores e princípios. Só o conhecimento destes nos dará o poder de fazer as melhores escolhas para nós e para os outros. Será isto que nos faz estar preparado para levantar a voz, mesmo quando esta treme, pelo que acreditamos. As férias dão um bom espaço para esta reorganização, para que de forma fluída se possam fechar algumas gavetas e arrumar outras que serão usadas. Conhecer quem somos e àquilo a que defendemos e fazer justiça a isso no que continuamente fazemos é essencial para que nos reconheçam e se aproximem (ou não). Saber analisar as diferenças entre nós e os outros e respeitá-las e identificar quais os limites da tolerância a ter para com o mundo à nossa volta é fundamental para que possamos dar um contributo. É importante mesmo saber ao que dizer basta e ao que dizer não: injustiças, abusos, maus tratos… toxicidade… Saber assumir e viver compromissos e ter coragem de aparecer iguais a nós fará com que nos confiem a verdade. O caminho maior de todos será o de ficarmos cada vez mais parecidos connosco. É tão bom quando os meus clientes de coaching se atrevem a ser mais quem são e ficam mais felizes a cada passo dado…

“Talvez o sentido da vida seja um treino intenso ou uma boa caminhada com amigos ou trabalhar num projeto nobre.” Seja como for, teremos que o entender ou, como diria Steve Jobs, viveremos a vida que os outros querem para nós: “… não deixe o ruído das opiniões alheias abafar a sua voz interior. E, mais importante, tenha a coragem de seguir o seu coração e a sua intuição. Eles já sabem, de alguma forma, aquilo em que você se quer tornar realmente.”

Ainda preciso de me sentar comigo em fins de tarde e à beira mar. Este ano até agora foi um ano bom. Sobretudo pelo que encontrei nos outros, que me ajudaram a reconhecer o que mais gosto em mim e de viver. Estarei em auto coaching nestes próximos tempos de forma mais serena. E isto agrada-me, já tenho a inspiração do que foi vivido e do que ficou dos passos dados. Sei verdadeiramente algumas das coisas a que agradecer. A vocês também que me visitam mensalmente nestes artigos. Um Verão fantástico! Até à próxima onda! Obrigada!

Comentários

Acerca do autor

Andreia Santos

Andreia Santos

Psicóloga Clínica e da Saúde Formadora Profissional