Braga

Movimento de cidadãos quer “Construir Braga” em cinco debates

(c) CM Braga
Redação
Escrito por Redação

O movimento de cidadania Braga para Todos apresenta, antes das férias a última atividade: “Construir Braga” constituídos por cinco debates com temas locais e nacionais, integrantes da agenda de trabalho do movimento iniciado há exatamente um ano. Temas como políticas sociais intergeracionais, mobilidade+ humana, ambiente, transporte vivo de animais e a legislação do cão comunitário serão a base da discussão, que acontece domingo 22 de julho entre as 15h e as 19h, no auditório da Junta de S.Victor, a participação é gratuita mas carece de inscrição para o email: bragaparatodos@gmail.com.

Sobre o título “Construir Braga”, Elda Fernandes, porta-voz do movimento, afirma que este é o objetivo desde o início do grupo de cidadãos e cidadãs: “ Iniciamos há um ano, aliás fazemos um ano a 30 de julho, até agora esta é a nossa décima sexta atividade e isso é uma vitória, pois cumprimos um dos nosso primeiros requisitos: a consistência a par da defesa de uma sociedade melhor para todos, não individualista e mais coletivista. Fazemos parte de um todo que é o planeta Terra, não tem sentido humanidade se colocar acima ou à parte de tudo o que integra este planeta, um dos nossos objetivos e dos mais difíceis é retirar o “eu” de cena e fomentar um olhar profundo sobre o outro, pretendemos ter uma abordagem ética e esta ter um maior peso nas decisões políticas, porque não pode ser de outra forma. A política tem que defender causas humanas e não humanas, e apesar da nossa ação ser local, para já, o todo faz parte do nosso raciocínio e através do debate acreditamos que é possível fazer algo”.

A iniciativa de dia 22 de julho, acontece no auditório da Junta de S.Victor, entre as 15h e as 19h, inicia com um debate sobre a política social e intergeracional, com tópicos como; situação dos alunos do ensino especial das escolas de Braga e também o abandono de idosos a falta de um lar social, acesso a medicamentos gratuitos, ou seja, programas solidários eficientes inexistentes na cidade, seguirá a mobilidade na cidade e mudanças urgentes para a cidade estar adaptada a todas as pessoas e ser segura, depois serão apresentados dois temas sobre o ambiente, um sobre o plástico e a luta do movimento na abolição dos copos de única utilização nas festas da cidade e nas empresas públicas e os rios atrelados a constantes crimes ambientais. Para terminar as questões referentes aos animais sencientes, primeiro sobre o transporte vivo de animais e depois a urgência, na ótica do Braga para Todos, em legislar o cão comunitário e em Braga ser um exemplo a implementar casos teste.

Para Elda Fernandes, este debate é completo e aborda situações que ao continuarem a ser ignoradas pelo executivo diminuem em parte a qualidade de vida tanto das pessoas como dos animais: “ Este debate é em volta de construir políticas eficientes nestes temas que não existem, Braga é uma cidade sem políticas ambientais adequadas aos desafios de hoje, e na vertente humana das políticas sociais há imensas lacunas e demasiado silêncio tanto das pessoas que não acreditam neste executivo, como da oposição que não existe na cidade na prática, ou seja sabem, mas nada tentam mudar”.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação