Destaque Região

Economia. 10.000 litros da cerveja da ‘Casa del Papel’ para o Laurus Nobilis Fest

Comercial em Portugal e diretor de marketing internacional da Estrela Gallicia (c) FAS / Semanário V
Fernando André Silva

A grande novidade do festival Laurus Metal Fest deste ano é… uma cerveja. A Estrella Galicia, cerveja da Corunha com 112 anos de história, disponibilizou mais de 10.000 litros para que os amantes da música mais “pesada” não passem sede no já célebre recinto instalado no Louro, em Vila Nova de Famalicão.

Os festivaleiros, e são esperados mais de de uma dezena de milhar durante os dois dias, podem ‘rockar’ ao som de Septiflesh, Dark Tranquility ou Tarantula enquanto desfrutam do malte que voltou recentemente à ribalta depois do patrocínio na série espanhola A Casa de Papel.

O Semanário V esteve à conversa com Abel Blanco, diretor de marketing internacional da marca que revela que esta é “a primeira grande aposta da cerveja em grandes eventos em Portugal”. A marca já tinha patrocinado outros festivais de menor envergadura, mas este será aquele para o qual disponibilizaram mais litros de cerveja – perto de 10.000 – havendo ainda mais 5.000 preparados para reforçar o recinto, para que ninguém passe sede.

Comercial em Portugal e diretor de marketing internacional da Estrela Gallicia (c) FAS / Semanário V

“Esta é uma aposta da marca, que tem 112 anos, e queremos implementar-nos na região portuguesa”; refere Abel, dizendo que “não é pretensão substituir outras marcas já implementadas de cerveja”. “Não queres substituir a Super Bock ou a Sagres, apenas queremos criar o nosso próprio público e que a Estrella Galicia seja cada vez mais amada”, aponta.

A importância da presença da marca neste festival é tanta que Abel deslocou-se diariamente ao recinto ao longo desta semana para se inteirar dos progressos de logística da cerveja. “É muito importante para nós começarmos bem neste festival. Já tem tradição, é bastante acarinhado, e posso revelar que já acordamos mais três anos com a organização para continuarmos a ser a cerveja oficial”; diz Blanco.

Também presente no recinto está José Miguel, representante comercial da marca em Portugal. O comercial do Porto não tem dúvidas sobre o sucesso da marca neste festival. “A nossa cerveja é ‘de puta madre’, é claro que as pessoas vão gostar”, diz, revelando que, logo depois das duas marcas mais conhecidas, a Estrella Galicia será das cervejas que mais se vende na região norte de Portugal.

“Neste momento estamos em grande força no Porto, onde abastecemos vários espaços de restauração com um novo modelo que permite manter a qualidade da cerveja, em grandes quantidades, igual a como sai da fábrica”, conta. Este novo método, vendido em recipientes que podem ter milhares de litros de capacidade, tem deixado os clientes satisfeitos, e a marca pode em breve começar a negociar em Braga.

“Aos poucos vamos conseguindo o nosso espaço no mercado português. Longe de nós termos uma estratégia de rivalizar com as duas cervejas portuguesas mais vendidas, mas temos o nosso público e as pessoas gostam do que é diferente. E a nossa cerveja é a ideal para quem está a pensar em trocar”, vaticina.

O Laurus Nobilis Music Fest começa esta quinta-feira, no palco Estrella Galicia, com os espanhóis Atreides, seguindo-se Booby Trap (Aveiro), Cruz de Ferro (Torres Novas), Infrator (Gaia) e DJ Nattu (Famalicão).

Na sexta-feira começam os artistas internacionais, com a atuação dos gregos Septic Flesh no palco secundário (Porminho), em conjunto com o punk ‘tuga’ de Mata-Ratos, Equaleft e Hills Have Eyes, de Setúbal. Já no palco principal atuam os Sotz, os In Vein, os Nine o Nine, os Web e o DJ António Freitas.

No sábado é a vez de Legacy of Cynthia, Low Torque, Revolution Within’, Godiva e novamente DJ Nattu. Já no palco principal atuam os protugueses The Temple e Tarántula. De Barcelona chegam os Crisix e da Suécia vêm os cabeças de cartaz – Dark Tranquillity.

Os preços do bilhete variam consoante o dia. Na quinta-feira a entrada é livre. Sexta e sábado, o bilhete individual para um dia custa 20 euros. Já o passe completo para os dois dias é de 30 euros.

Segundo Aguiar Silva, porta-voz e presidente da associação Ecos Culturais do Louro, que organiza o evento, o cartaz deste ano tem tudo para voltar a ser um sucesso como nos anos anteriores.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista