Braga

Ambiente. “Braga para Todos” quer autocarros elétricos em Braga

Redação
Escrito por Redação

O movimento cívico “Braga para Todos” veio a público censurar e questionar uma alegada “mudança” na compra dos novos autocarros para os Transportes Urbanos de Braga.  “Em 2017 eram elétricos, uma compra a pensar no futuro, com base nas recomendações europeias, mas em 2018 regride para comprar veículos a gás, ineficazes para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa”, diz o movimento.

O movimento quer mesmo uma explicação com “argumentos viáveis” e alerta o edil que afirmar “não é fiável” não chega. “Quando Braga tem tecnologia e todas as condições necessárias para ser a cidade com mais veículos elétricos a circular e consequentemente melhorar a qualidade do ar da cidade”, diz o movimento, que afirma não entender “as decisões políticas” do edil.

“Ricardo Rio precisa de uma estratégia para Braga e isso tem de contemplar o futuro. A sua falta de liderança e não cumprimento do seu programa eleitoral ultrapassar limites”, acusa o movimento.

“Em 21 de julho de 2017 saiu na imprensa o negócio da empresa municipal TUB sobre a compra de 31 veículos elétricos, uma compra a pensar no futuro da mobilidade em Braga e amiga do ambiente”, diz o movimento, apontando para “um quarto da frota elétrica” para os TUB.

O movimento denuncia ainda a existência de autocarros no “fim de circulação permitida” e falta de equipamento de compressão de gás.

”Braga terá que adquirir um novo posto para compressão, no entanto, o existente está apto para carregar os autocarros elétricos, porque são tecnologias distintas. Mas, neste momento o cenário é Ricardo Rio abdicar do financiamento e optar por comprar autocarros a gás, ou seja, gastar a longo prazo mais dinheiro e perpetuar a poluição do ar em Braga”, acusa o movimento.

“Comprar hoje, uma frota a gás é permitir Braga continuar a ser das cidades com pior ar do país”, diz o Braga para Todos, acrescentando que “há estudos da Federação Europeia de Transportes e Ambiente, onde o gás natural surge ineficaz na redução da emissão de gases”.

“Todos sabemos que as emissões dos gases com efeito de estufa são em parte oriundos dos transportes, existem metas da União Europeia para a descarbonização do setor. A nossa questão é como é possível colocar a qualidade de vida dos bracarenses em jogo e agir como se as alterações climáticas fossem uma invenção”, diz o Braga para Todos, acrescentando que “os incêndios que assolaram Portugal o ano passado com temperaturas fora de época e a Grécia são consequências de escolhas políticas”.

O Braga para Todos afirmar-se surpreendido pelo voto favorável da CDU, e critica a abstenção do PS. ”Ficamos perplexos com a abstenção do PS, quanto a Ricardo Rio, vamos tentar obter uma resposta, como cidadãos queremos os dados que o levam afirmar com tanta convicção que uma frota elétrica não é viável”.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação