Braga Destaque

Braga. Juiz manda prender responsável por onda de furtos na cidade

"Cenoura" foi detido pela PSP no Largo do Pópulo depois de um assalto (c) Google
Fernando André Silva

A atividade criminosa de “Cenoura” na cidade de Braga parece ter chegado ao fim. Pelo menos para já. Referenciado pela PSP por estar envolvido em vários furtos e arrombamentos na cidade de Braga ao longo dos últimos meses, foi novamente detido e desta vez o juiz de turno do Tribunal Judicial de Braga considerou que o detido fazia do roubo “modo de vida”, mandando-o prender preventivamente enquanto aguarda julgamento.

A onda de furtos e assaltos a estabelecimentos comerciais, alguns com arrombamentos violentos, estava em crescendo ao longo dos últimos meses, com diversas situações a serem reportadas na cidade de Braga, sendo que mais de 50% delas foram associadas ao bracarense “Cenoura”, de 26 anos, e à sua companheira, natural de Barcelos, que residem no Bairro de Santa Tecla, em Braga.

Em alguns desses casos, como noticiado na altura pelo Semanário V, o casal era mesmo apanhado em flagrante pela PSP durante os furtos mas acabava por ser restituído à liberdade pelo Tribunal no dia seguinte.

Noutras situações, o casal conseguia escapar à PSP, mas não sem antes serem reconhecidos por moradores como foi o caso numa vaga de assaltos a terraços na Rua Padre António Cruz,  onde foram furtadas bicicletas e até cadeiras de baloiço, ou, na mesma rua, quando foram flagrados pela PSP durante a madrugada a assaltar um restaurante, ele dentro do carro, ela dentro da loja com garrafas de vinho na mão, não sem antes terem arrombado o vidro de forma violenta.

Suspeito de vários furtos, “Cenoura” foi detido em flagrante por agentes da PSP de Braga no passado dia 1 de agosto depois de ter arrombado uma montra com recurso a uma pedra e ter sido apanhado com artigos no valor de cerca de 1.500 euros.

Estava acompanhado de outro individuo, com 43 anos, quando foram intercetados junto ao largo do Pópulo, minutos depois de terem furtado uma loja de roupa na Rua Alferes António Ferreira, junto ao Mercado Municipal. O homem de 43 acabou por ser restituído à liberdade pelo juiz. Já quanto à namorada de “Cenoura”, não terá participado diretamente neste assalto e continua em liberdade.

Quando o crime compensa

Um dos argumentos para que o conhecido assaltante ficasse em prisão preventiva foi as suspeitas de que será este o “modo de vida” que tem levado nos últimos meses, pondo em causa a segurança e os bens da população.

Em algumas situações, os assaltantes que são apanhados em flagrante delito acabam por ser restituídos à liberdade por não ser apresentada queixa, que envolve custos elevados para os padrões económicos normais de um cidadão.

Em outros casos, e ao que o V apurou, as seguradoras acabam por delegar a responsabilidade dos furtos no assaltante, quando este é identificado, situação essa que não agrada aos comerciantes vítimas que acabam por não apresentar queixa também por esse motivo.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista