Destaque Vila Verde

António Vilela inaugurou as obras de reabilitação da antiga Adega de Vila Verde

Inauguração obras Adega (c) Mariana Gomes / Semanário V
Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

As obras de requalificação e ampliação das antigas instalações da Adega Cooperativa de Vila Verde, adquiridas pelo município há mais de uma década, iniciaram-se esta tarde numa cerimónia de lançamento da 1.ª pedra da Adega Cultural.

Um dos objetivos principais da reabilitação do antigo edifício, que dará vida a um Centro de Artes e Espetáculos, é criar um espaço versátil que permitirá acolher inúmeras atividades, desde espetáculos, a feiras e exposições.

O presidente da Câmara de Vila Verde, António Vilela, assegura que está a ser feito de tudo “para que os vila-verdenses se sintam bem no seu concelho e para que todas as gerações encontrem no território concelhio excelentes condições de vida”. Acrescenta, ainda, que “é igualmente fundamental criar novas âncoras de desenvolvimento que atraiam novos residentes e cativem projetos de investimento que criem riqueza e postos de trabalho”.

Co-financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, a obra tem um prazo de execução de um ano e meio e foi investido um valor próximo dos três milhões de euros. O objetivo deste projeto é criar um espaço polivalente, com capacidade para 7.000 pessoas de pé. Em relação aos lugares sentados, a lotação irá até mil.

A área coberta do novo Centro de Artes e Espetáculos, que possibilitará a realização de exposições, eventos e espetáculos, a criação de espaços para empresas e de espaços para venda de produtos tradicionais, irá abranger 7.000 m2.

Será, ainda, criado um espaço museológico, que vai aproveitar as estruturas das cubas que ainda se encontram na adega, cujo principal propósito é relembrar os costumes e tradições do concelho, reconhecendo a importância do vinho e da vinha, que sustentam um grande simbolismo e valor histórico. A área envolvente exterior do edifício contará com o futuro parque urbano de Vila Verde, com alguns equipamentos de desporto e de lazer, como espaços verdes, parque infantil, campo de padel, parque e skate e terá uma extensão de 8.000m2.

Segundo o presidente da Câmara, “a zona onde o antigo edifício da Adega Cooperativa de Vila Verde se encontra, pela sua centralidade e pela dimensão que apresenta, possui imensas potencialidades que vão continuar a ser otimizadas para, num futuro próximo, também ali nascer o parque urbano da vila”.

A existência de outros serviços nas proximidades do complexo, como o quartel da GNR, o Centro de Artes e Cultura, o quartel dos bombeiros ou as instalações da cerveja artesanal LETRA, reconhecida a nível nacional e internacional, possibilitam um desenvolvimento de parcerias que vão cativar vários públicos para diferentes atividades, além de colocar o novo edifício da Adega Cultural no centro urbano.

Já o presidente da CCDR Norte, presente na inauguração, considera que “a forma como Vila Verde utiliza o dinheiro da regeneração urbana é muito positiva” e acrescenta que “este projeto, além de deixar bem explícita a vertente cultural de Vila Verde, vai fazer com que a região ofereça um enorme contributo na exportação de produtos regionais e com que o concelho se afirme, ainda mais, em contexto nacional”.

O evento contou com a presença do presidente da Câmara de Vila Verde, António Vilela, do Presidente da CCDR – Norte, professor Fernando Freire de Sousa, do presidente da Assembleia Municipal, Carlos Arantes, do secretário executivo da CIM Cávado, Luís Macedo, da vereação do executivo municipal e dos presidentes de junta.

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista