Braga Destaque

Taxa turística. Câmara de Braga quer cobrar 1€ por dormida

Turismo em Braga c) FAS / Semanário V
Fernando André Silva

A Câmara de Braga pondera avançar com uma taxa destinada a turistas, de um euro por dia, prevendo arrecadar cerca de 500 mil euros/ano com este novo imposto para investir na promoção e divulgação da cidade no exterior e em eventos para atração turística.

O anúncio foi feito por Altino Bessa, vereador com o pelouro do Turismo na Câmara de Braga, que quer ver a cidade acompanhar o comboio das taxas turísticas em Portugal, à semelhança do que já se faz em concelhos como Lisboa, Porto e Cascais. Para já, só Aveiro iniciou esta taxa acabando com ela por não ter dado o retorno esperado durante o primeiro ano.

Em declarações ao Semanário V, Altino Bessa confirma a intenção de criar esta taxa que vai incidir sobre as dormidas dos turistas nas diferentes unidades de alojamento da cidade. Com isto, o vereador estima que sejam arrecadados perto de meio milhão de euros.

“A proposta vai ser levada a um conselho consultivo dedicado ao desenvolvimento turístico para que a possamos discutir, já em setembro, pois é nossa intenção que esta receita seja já incluída no próximo orçamento municipal”, explicou o vereador, admitindo que possa ser uma medida pouco popular, especialmente por entre os gerentes das unidades hoteleiras.

“Vamos ter que reunir com os empresários e tentar explicar-lhes de que forma isto pode contribuir para que venham cada vez mais turistas à cidade”, refere Altino Bessa. E esse retorno será feito através do investimento total da receita na divulgação da cidade no exterior e em eventos que captem turistas.

“O turismo em Braga está em franco crescimento e prova disso são os 18 milhões de receita obtida no concelho no ano de 2016”, explica o vereador, apontando para “a dinamização de Braga no exterior” como um passo necessário.

“Temos de mostrar aos turistas que Braga está aqui”

“A taxa não deve ser só para eventos na cidade porque temos de ir ter com as pessoas lá fora e mostrar que Braga está aqui, em Portugal, à espera de uma visita”, diz Altino Bessa.

Presente nas principais feiras turísticas europeias com o nome da autarquia, o vereador diz que este é um dos caminhos a seguir, revelando que “nas várias feiras que temos estado presente, são muitos os turistas que mostram interesse em visitar Braga”.

“Alguns deles dizem que já vieram a Portugal mas só foram a Lisboa ou ao Porto. Nós tentámos mostrar que Braga está aqui ao lado do Porto, com uma natureza fenomenal, uma gastronomia única e todo um património à espera de ser visitado. Temos de começar a incluir massivamente Braga no habitual roteiro Lisboa/Porto dos turistas internacionais”, vinca o vereador, dizendo que esta aposta pode beneficiar as localidades vizinhas.

“Não é só Braga que beneficia com esta atração de turismo. Também os concelhos vizinhos como Amares ou Vila Verde e até a própria região do Minho podem ser local de visita enquanto estão em Braga. Podem até dormir num desses locais e passar por Braga durante um dia. Podem dormir no Porto e visitarem Braga durante um dia. Há todo um caminho que tem de ser seguido para captar mais turistas”, vinca.

A proposta vai ser apresentada em setembro junto do Conselho Consultivo do Desenvolvimento Turístico, órgão recentemente criado que engloba parceiros turísticos da autarquia [alojamento, restauração, etc] onde será apresentada e debatida a forma de cobrar a taxa turística em Braga.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista