Destaque Região

Cientista de Esposende representa Portugal em congresso mundial sobre cancro

Redação
Escrito por Redação

Hernâni Zão Oliveira, investigador da Universidade do Porto, vai representar Portugal no congresso World Leader’s Cancer Summit 2018, organizado pela União Internacional para o Controlo do Cancro (UICC). O evento de acesso restrito a Chefes de Estado, Ministros da Saúde, membros de famílias reais envolvidas no combate ao cancro e líderes comunitários terá lugar em Kuala Lumpur, na Malásia.

Depois de ter vencido o grande prémio do Astellas Oncology C3 Prize, promovido pela multinacional Astellas Pharma em parceria com o investidor Robert Herjavec (Shark Tank), Hernâni Zão Oliveira deu a conhecer ao mundo um videojogo para aumentar a qualidade de vida em crianças internadas com cancro. O PROJETO HOPE garantiu o primeiro lugar num concurso com mais de 160 projetos oriundos de 21 países, e permitiu ainda o desenvolvimento de um programa para escolas do ensino básico. O projeto-piloto desta última proposta contou com mais de 650 estudantes e professores nacionais, que validaram uma intervenção de capacitação escolar para responder socialmente a casos de cancro pediátrico.

O sucesso destes projetos catapulta, no início de 2018, o trabalho deste investigador e da sua equipa para a participação numa tournée radiofónica por mais de uma dezena de estações Norte-americanas. Para além disto, Hernâni Zão Oliveira é ainda convidado a integrar o painel de jurados da edição de 2018 do Astellas Oncology C3 Prize, evento integrado no World Leader’s Cancer Summit.

Para o investigador, “esta é uma oportunidade única para poder divulgar junto dos líderes mundiais o trabalho desenvolvido por Portugal na área da Educação em Saúde, em particular na área da Tecnologia aplicada à Oncologia”. Hernâni Zão Oliveira acredita que a partilha da sua experiência “pode reforçar a necessidade de priorização da educação como elemento crucial para se obter uma sociedade com índices de qualidade de vida superiores, e que a criação de estratégias deve ser fortalecida por uma ação concertada com o poder político”.

A edição deste ano do World Cancer Leader’s Summit tem como tema “Tratamento do Cancro para Todos” e é organizado pela UICC, em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Agência Internacional de Energia Atómica (IAEA), a Agência Internacional para Investigação sobre Cancro (IARC) e os seus anfitriões, a Sociedade Nacional de Cancro da Malásia.

Website do congresso mundial: https://www.uicc.org/what-we-do/convening/world-cancer-congress

Jurados do Astellas Oncology C3 Prize: http://www.c3prize.com/MeetTheJudges.aspx

Sobre o Investigador

Hernâni Zão Oliveira é licenciado em Biologia e Ciências da Comunicação, pela Faculdade de Ciências e Faculdade de Letras da Universidade do Porto, com mestrado em Oncologia pelo Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Encontra-se, atualmente, a co-coordenar o LACLIS – Laboratório de Criação para a Literacia em Saúde da Universidade do Porto, no âmbito do seu doutoramento em Media Digitais, programa em parceria com a Universidade do Texas, em Austin. Paralelamente, desenvolve a sua segunda tese de mestrado em Educação para a Saúde com Kristine Sorensen, diretora da Global Health Literacy Academy. No início de 2018, foi selecionado para integrar a equipa europeia de jovens inovadores na área da saúde, promovido pelo consórcio EIT Health. É, desde 2014, fundador da BRIGHT, uma start-up orientada para o desenvolvimento de videojogos para o aumento da adesão terapêutica. Os seus projetos na área do cancro da mama e oncologia pediátrica valeram-lhe o I Prémio de Empreendedorismo So cial Diogo Vasconcelos, o Prémio RedEmprendia Banco Santander e o Astellas Oncology C3 Prize.

Sobre o PROJETO HOPE

O PROJETO HOPE nasce para responder de forma eficaz a dois problemas existentes em crianças internadas com uma doença oncológica: a ansiedade e o elevado sedentarismo associados à hospitalização. Por forma a promover a disponibilidade física e emocional para os tratamentos, duas ferramentas complementares foram concebidas para auxiliar a criança doente e os seus cuidadores mais diretos.

O videojogo para as crianças
O primeiro produto ? um videojogo em 2D para tablets e smartphones ? foi desenvolvido com o intuito de promover o conhecimento sobre a doença e a atividade física para crianças entre os 6 e os 10 anos. O videojogo incorpora uma dimensão de jogo sério, que permite ensinar tópicos sobre o cancro através de ferramentas normalmente associadas ao entretenimento. Os desafios propostos durante o jogo são ultrapassados através de tecnologia que permite o exergaming (prática de exercício físico durante um jogo virtual), utilizando a câmara frontal dos dispositivos móveis. Toda a narrativa e design deste jogo foram pensados para cruzar a perspetiva realista da doença oncológica, com base em fotorreportagens dos espaços hospitalares, com o mundo fantástico, onde os principais medos da criança se transformam em superpoderes da sua personagem.

A aplicação móvel para os pais e cuidadores
Tendo em conta as constantes dúvidas e preocupações, também uma aplicação móvel foi pensada para acompanhar os pais e cuidadores durante todo o processo de tratamento da criança. A informação contida na app foi trabalhada com técnicas de infografia para tornar mais clara a complexidade científica associada aos procedimentos oncológicos. A mesma narrativa utilizada no videojogo foi também aplicada nesta aplicação, para que os pais pudessem utilizar as mesmas metáforas explicativas para dialogarem com a criança sobre a doença sempre que necessário.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação