Braga Destaque

Noite Branca aposta na sustentabilidade ambiental com ajuda dos reclusos do EP de Braga

EPB (c) Mariana Gomes / Semanário V
Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

Este ano, a Noite Branca de Braga vai receber uma Instalação Artística construída com a ajuda dos reclusos do Estabelecimento Prisional de Braga, com recurso a material reciclável. O projeto sustentável da autoria da artista Madalena Martins, chama-se “Brarroco” e irá decorar as ruas da cidade, com o objetivo de alertar para a necessidade de redução do consumo de plástico.

A organização fez um apelo à comunidade para a recolha de 6.000 garrafas de plástico necessárias para a instalação, cujo objetivo é a aposta na sustentabilidade ambiental, com o uso de materiais recicláveis.

A aposta no lado humano foi traduzida pelo recurso aos jovens reclusos do EPB, Pedro, 38, Márcio, 37, Diogo, 25 e Luís, 30. Foram escolhidos entre cerca de 90 reclusos e estão, desde o final de junho, a transformar garrafas PET para a instalação de 1,5 quilómetros, que irá consistir numa “linha branca ”, que se vai desenhar ao longo das ruas, com recurso a material geotêxtil, reciclável e produzido a partir de desperdício de têxteis. Dentro do tubo de garrafas vai existir uma linha de luz, que vai transformar Braga numa “cidade elétrica” numa das maiores noites do ano. O material geotêxtil foi trabalhado previamente pelos reclusos do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira.

O propósito da artista Madalena Martins é “reutilizar o material em final de vida” e a necessidade de criar um tubo transparente para poder irradiar luz, levou à utilização de garrafas PET, que irão decorar a cidade com “uma linha orgânica”, de modo a transmitir emoções, que vão ser traduzidas com o “contraste de luz, diferentes cores, diferentes dinâmicas”. Esta Instalação, “Brarroco”, reflete a ligação à cidade, “como uma definição do estilo barroco” que vai preencher espaços de forma obsessiva.

Segundo a Diretora do Estabelecimento Prisional de Braga, Isabel Duarte Paulo, “o trabalho no seio das prisões é muito importante, por um lado, porque reforça as competências que uns têm, outros não têm, mas vão adquirir, para quando em liberdade, regressarem à atividade laboral”. Acrescenta, ainda, que “os momentos em que estão a trabalhar são momentos de liberdade”. Além disso, os trabalhos de elaboração da Instalação Artística são remunerados. A Diretora do EPB assegura que este contributo “sobe-lhes a autoestima, sentem-se uteis, podem adquirir, com a remuneração do trabalho, alguns bens próprios, deixando de ser um peso para os familiares”.

O Presidente da Câmara Municipal de Braga considera que, “do ponto de vista social, esta ligação ao Estabelecimento Prisional é o reeditar de uma colaboração que temos continuamente com outros projetos”, admitindo que este contributo é uma oportunidade para abrir outros caminhos “lá fora” e começar uma nova vida. “Dentro deste estabelecimento prisional temos muitas pessoas com aptidões de natureza profissional e pessoal, que podem ser bem canalizadas no sentido do futuro em liberdade, para poderem desenvolver novas atividades profissionais e de desenvolvimento pessoal”, acrescenta.

Os quatro jovens deixaram uma mensagem de agradecimento, na qual reconhecem a importância deste contributo e admitem que foi prestigiante servir a sociedade. Confessam, ainda, que o trabalho que lhes foi confiado criou momentos bem passados e serviu para “sentir um bocadinho de liberdade”, mesmo dentro de quatro paredes.

Ainda com o intuito de consciencializar a comunidade e diminuir a pegada ecológica, aliado ao projeto de Madalena Martins, todos os stands de venda concessionados irão utilizar copos reutilizáveis em detrimento de copos de plástico descartável.

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista