Destaque País

País. Em Lisboa já se alugam quartos em autocaravanas paradas por 600 euros/mês

Redação
Escrito por Redação

O anúncio foi publicado no passado dia 20 e está a indignar a internet.

600 euros mensais por um quarto para estudante durante o ano letivo de 2018/19, com acesso a WC com chuveiro, internet e despesas incluídas até não difere dos preços de um quarto em Lisboa, mas a grande diferença é que este quarto é uma autocaravana parqueada num jardim.

Segundo a publicação inserida no portal de anúncios OLX, a autocaravana fica perto da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril e da Escola dos Salesianos do Estoril, daí ser indicada para estudantes.

“Venha ver sem compromisso”, termina a publicação que está a originar centenas de comentários nas redes sociais, depois de ter sido “denunciada” numa página de humor.

O preço do aluguer de quartos tem “disparado” em todo o país, com Lisboa a estar no topo da maior inflação, onde a média mensal para o aluguer de um quarto se situa nos 323 euros. Segue-se Porto (261 euros) e Setúbal (244 euros). Braga é o quarto distrito do país onde o preço é mais elevado, situando-se na média dos 196 euros mensais.

Segundo um estudo avançado pelo portal de anúncios imobiliários “Idealista”, a média de idades destes arrendatários de quarto é de pouco mais de trinta anos, e geralmente alugam quartos em habitações situadas no centro das grandes cidades.

Segundo o mesmo site, o perfil do arrendatário de um quarto em Braga é de 33 anos, não fumador, embora seja tolerante com quem fuma, e não tem animais de estimação.

Segundo os indicadores publicados, em relação a agosto de 2017, o preço das rendas subiu 6,7% a nível nacional.

Já os distritos mais económicos para arrendar um quarto são, por esta ordem, Santarém (169 euros por mês), Leiria (180 euros) e Coimbra (190 euros).

Por género, em 79% das casas convivem ambos os sexos, sendo que em 15,8% dos imóveis vivem apenas mulheres e em 5,1% só homens.

O estudo permite ainda concluir que o arrendamento de quartos deixou de ser uma opção habitacional apenas para estudantes, convertendo-se também na opção eleita por jovens recém-licenciados e que começaram a trabalhar recentemente.

 

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação