Vila Verde

PS diz que Câmara de Vila Verde não pode culpar emigrantes por lixo excessivo

Redação
Escrito por Redação

“Cinco milhões de euros”. É o valor lançado pelo Partido Socialista (PS) de Vila Verde sobre o contrato celebrado entre a empresa Ecorede, que recolhe o lixo à superfície no concelho, e a Câmara de Vila Verde, e que, segundo os socialistas, deve ser terminado, por ver repetido, ano após ano, os contentores a abarrotar durante vários dias, algo que os autarcas no poder justificam com aumento da população devido aos emigrantes.

Em comunicado, o vereador do PS, José Morais, aponta a recolha do lixo como “má ao longo de todo o ano” mas que no verão se torna quase catastrófico e que este cenário se tem repetido ao longo dos últimos anos. “A recolha de lixo foi entregue a um privado que recebe 5 milhões de euros. É má ao longo de todo o ano, mas piora muito nos meses de verão. No verão verifica-se que o serviço prestado pela empresa privada responsável pela recolha de lixo é lastimável”, aponta o vereador.

O vereador diz que a resposta para a situação por parte da câmara é sempre a mesma “ano após ano”. “A população aumenta muito e nada podemos fazer”. “Será que se soluciona o problema pedindo aos nossos conterrâneos emigrantes para não virem cá e assim já não há problema com a recolha do lixo”, questiona o vereador, de forma retórica.

“Os emigrantes não podem de forma alguma servir como desculpa para o reiterado incumprimento na recolha do lixo”, alerta o vereador, dizendo que a Câmara deve “exigir que a empresa a quem entregou um négócio de 5 milhões de euros cumpra com a suas obrigações”.

“Os nossos conterrâneos emigrantes são bem-vindos! O que é inadmissível é que ano após ano a câmara não seja capaz de planear adequadamente o aumento da população residente com um reforço efetivo da recolha de lixo”, diz o comunicado.

“O contrato que rege a recolha de lixo e prevê o pagamento de 5 milhões de euros ao privado é claro e prevê reforço da recolha nestas alturas do ano! Porque é que o presidente da câmara não exige que o façam? Os interesses do Município têm que estar à frente de qualquer outro interesse.
Hoje temos um serviço menos eficiente, sem higienização dos locais e com um custo maior para os cidadãos e isso é inadmissível”, referem ainda os socialistas.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação