Destaque Vila Verde

Vila Verde. Extensão de Saúde do Vade fechou. Saiba o que muda

(c) FAS / Semanário V
Fernando André Silva

Fechou ontem para obras de requalificação a Extensão de Saúde do Vade, localizada na Portela do Vade, a norte do concelho de Vila Verde.

Os utentes daquele espaço vão agora ser atendidos num pólo do Centro de Saúde de Vila Verde, localizado na Rua Dr. Domingos Oliveira Lopes, na sede de concelho, estando o transporte assegurado pela junta de freguesia. Esta “solução” estará em vigor durante os próximos seis meses.

Ao que o Semanário V apurou, os utentes que têm consulta marcada para a próxima semana foram contactados pelos serviços administrativos daquela extensão de forma a explicar que a próxima consulta será já no novo local, a 15 quilómetros de distância da extensão que será intervencionada.

O V contactou o presidente da União de Freguesias do Vade e este garantiu que o transporte está assegurado já a partir desta segunda-feira.

Segundo Carlos Cação, o transporte está assegurado em dois horários [partida às 9h30, regresso às 12h e partida às 14h regresso às 16h30] e é gratuito para os utentes.

O autarca ressalva, no entanto, que os horários podem vir a sofrer alterações conforme a necessidade dos utentes e pode até haver dias em que o transporte não será solicitado, caso não existe nenhuma consulta para utentes do Vade.

Segundo fonte do ACES Cabreira-Gerês, que gere a extensão, não há muita gente a pedir transporte para a próxima semana. “Esta segunda-feira é um número muito reduzido, por exemplo”, disse a mesma fonte.

Investimento de 300 mil euros

Este investimento permite àquela extensão dotar-se das condições exigidas pela ARS Norte para manter o funcionamento, servindo a população das freguesias do Vade, de Aboim da Nóbrega e Gondomar e ainda de uma parte de Barros [lugar de Cisão]. Esta obra tem previsão de duração de seis meses em investimento de 300 mil euros.

Todas as informações em relação a receitas e medicamentes são centralizadas no Espaço de Cidadão do Vade, onde os utentes podem renovar a medicação crónica sem necessidade de se deslocar ao centro de saúde.

Também serve aquele espaço no Vade para depositar ou levantar documentos administrativos que serão depois entregues em Vila Verde. Os utentes podem ainda utilizar o portal do SNS para renovar medicação ou marcar consulta.

Segundo o autarca, o novo espaço, previsto para reabrir em março de 2019, terá dois médicos efetivos e a equipa de trabalho que já compunha a extensão atual, com serviço de enfermagem.

Já a solução temporária encontrada não será a que a junta mais “queria”, mas terá sido a possível, diz Cação. “Asseguramos o transporte para Vila Verde e agilizamos questões burocráticas no Espaço Cidadão, esperando que tudo corra dentro da normalidade para que daqui a seis meses possamos inaugurar a requalificação da extensão”, assegura.

Mudança motivou abaixo-assinado e reações de vários partidos políticos

Esta mudança temporária para o centro de Vila Verde não caiu bem na população da Portela do Vade, com comerciantes a iniciarem um abaixo-assinado pedindo a deslocalização temporária sim, mas não para Vila Verde.

Segundo a população, seria viável alojar temporariamente os serviços de saúde no Pavilhão do Vade, evitando transtorno nas deslocações a pessoas mais idosas.

No entanto, a Câmara de Vila Verde não achou que se justificasse esse investimento para utilizar durante seis meses e recusou essa solução, que era aprovada pela ARS Norte, mediante algumas alterações.

O PS de Vila Verde, o Bloco de Esquerda de Braga e o Partido Comunista Português deslocaram-se mesmo até à União do Vade para manifestar apoio à população, criticando a decisão da Câmara em não apostar em solução temporária para os utentes que lhes permitisse evitar esta deslocação

Informações Loja do Cidadão do Vade [96 851 6986]

Centro de Saúde de Vila Verde [253 310 855]

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista