Braga Desporto Destaque

Braga bate recorde ibérico em busca dos 5.000 euros da Prozis Challenge

Redação
Escrito por Redação

Mais de 200 pessoas passaram durante a manhã deste sábado pelo parque de estacionamento do Minho Center, em Lamaçães, para participar na etapa de Braga que antecipa a Prozis Challenge. Durante esta tarde, outras 600 devem passar pelo recinto. Grande parte à espera do prémio final de 5.000 euros em dinheiro. Mas esse, só na segunda metade de 2019.

Sérgio Rodrigues – Gestor Prozis Challenge

Sérgio Rodrigues, gestor do “Prozis Challenge”, explicou ao V que esta é uma das várias provas que decorrem em Espanha e Portugal, com vista a preparar o grande desafio de 2019, esse sim, com um prémio “milionário”.

“Esta é uma de várias corridas de obstáculos insufláveis que decorrem ao longo de 2018, para os nossos clientes e simpatizantes tomarem conhecimento do que é o Prozis Challenge. Começamos em julho em Madrid e já fizemos sete provas em Espanha e esta é a quarta em Portugal”, explica, apontando que a prova de Braga é a “mais concorrida” até agora.

Sobre o prémio de 5.000 euros, o responsável explica que será o primeiro prémio, em dinheiro, mas apenas na prova final, que ainda não tem data nem local definido. “Será na segunda metade de 2019 num dos dois países onde temos organizado estas provas”, explica, revelando que essa prova terá um percurso de dois quilómetros com onze insufláveis gigantes. “Esta aqui em Braga é para ganhar gosto e experiência”, atira, revelando que, mesmo assim, os vencedores levam 300 euros de prémio.

“Seguramente que esta está a ser a etapa com mais gente, tanto em Portugal como em Espanha. De manhã tivemos mais de 200 pessoas mas contamos bater o recorde hoje aqui, com mais de 800 pessoas. Em Espanha a média é de 300 e em Portugal de 400”, atira.

“As pessoas que vão acompanhando para perceber as próximas etapas. E devem tentar ir a todas as etapas porque vamos ter coisas diferentes e para se prepararem bem para a competição em 2019”, vinca.

Pedro Santos – Factory Play

Já Pedro Santos é o responsável pela empresa que concebeu o circuito de insufláveis. Gestor da Factory Play, com sede em Bragança, explica ao V que desde 2000 que montam estruturas insufláveis, geralmente no estrangeiro. “Felizmente a Prozis apostou numa equipa portuguesa para este desafio e temos correspondido”, diz.

A pista, composta por quatro insufláveis, o mais leve a pesar 800 quilos e o mais pesado com duas toneladas, tem 140 metros de comprimento, dez metros de largura e dez metros de altura.

“São volumes com uma dimensão bem acima do normal, mas estamos a falar de uma equipa que não só os fabrica mas também os monta, e já com larga experiência”, assume o responsável da Factory Play.

“Esta pista em concreto é um conceito inovador, não existe este formato em lado nenhum na Europa. Já tínhamos fabricado imensas provas de obstáculos mas esta especificamente com esta volumetria e inteligência, é a primeira vez que está a ser feita”, explica, confessando que “os atletas têm conseguido superar com facilidade”.

“Há vários a conseguir fazer a prova em menos de 2 minutos e isso é muito bom. E além do mais, ainda ninguém furou nada. Mas de qualquer forma temos sempre uma equipa de prevenção e manutenção no local, para além de uma equipa especializada em Busca e Salvamento e a também a Cruz Vermelha das Marinhas”.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação