Destaque Vila Verde

Casas evacuadas, pirotecnia em risco e noites sem dormir. Assim vão os incêndios em Vila Verde

Incêndio desta manhã em Aboim da Nóbrega
Fernando André Silva

Os incêndios florestais no concelho de Vila Verde não têm dado tréguas e contam-se já várias ignições desde o passado domingo que ameaçaram casas, uma fábrica de material pirotécnico e várias plantações de floresta.

Após sucessivos princípios de chama, durante a passada semana, em Prado São Miguel, a partir deste domingo, face às condições mais favoráveis para propagação de incêndios, esses pequenos focos “pegaram” a tempo de causar grandes paredes de fogo que ameaçaram casas.

Em Azões, no domingo, um incêndio florestal não chegou a atingir maiores dimensões devido à rápida atuação dos bombeiros. As chamas chegaram a estar perto da fábrica de pirotecnia instalada naquela freguesia, o que causou bastante apreensão no local. Os bombeiros conseguiram extinguir esse fogo em poucas horas, livrando assim aquelas instalações de um maior perigo.

A primeira grande ocorrência teve início em Passô, no monte de Santa Ana, na noite de domingo. Esse incêndio chegou a ter três frentes ativas e, segundo o comandante dos Bombeiros de Vila Verde, poderá ter tido mais do que uma ignição, o que indicaria que não se trata de um acidente, mas sim de fogo intencional. Casas tiveram de ser evacuadas apenas por precaução, regressando os moradores às habitações na manhã seguinte.

Esse mesmo incêndio começou as 22h de domingo, e apenas ficou controlado por volta das 3h30 da manhã. Luís Morais aponta que o terreno era de difícil acesso e que foi necessário um esforço físico por parte dos bombeiros para deslocarem as mangueiras por ribanceiras para chegar ao local onde o fogo propagava. Esse incêndio ficou extinto às 9h da manhã de segunda-feira.

Poucas horas depois, iniciavam novos incêndios no norte do concelho, em Prado São Miguel e em Aboim da Nóbrega, que mobilizaram os meios de Vila Verde durante todo o dia. Apenas tiveram algumas horas na manhã para descansar.

A noite de segunda-feira voltou a trazer um incêndio de grandes dimensões, que chegou a mobilizar uma centena de bombeiros de várias corporações apoiados por 32 veículos terrestres. Teve início em Sande e espalhou-se por várias freguesias ao redor, como Oriz, sendo dominado por volta das 6 horas da manhã de terça-feira, em Gomide, já perto do local de lançamento de parapente situado naquela freguesia a norte de Vila Verde.

Na manhã e tarde de terça-feira, novos incêndios em Aboim da Nóbrega e um reacendimento do incêndio de Santa Ana, em Passô, que mobilizou mais voluntários e ainda meios aéreos que ajudaram a extinguir as chamas.

Já esta manhã, novamente em Aboim da Nóbrega, na zona de Zebreiros, um reacendimento ficou descontrolado e mobilizou perto de uma centena de operacionais e 30 viaturas terrestres, para além de apoio aéreo.

Estima-se que arderam já perto de 30 hectares nos últimos quatro dias no concelho.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista