Destaque Vila Verde

António Vilela: “Recolha de lixo aumentou capacidade em 15 por cento”

Fernando André Silva

António Vilela diz que a recolha do lixo aumentou a capacidade em 15% durante o último ano e que foram recolhidos mais 10% de resíduos durante o mês de agosto em relação ao ano de 2017.

Os dados foram avançados durante a última Assembleia Municipal, com o edil a refutar críticas da oposição sobre a eficiência da empresa contratada para a recolha.

Segundo o edil, a recolha do lixo é uma questão que preocupa, mas garante que têm sido feitos esforços pela Câmara, apontando para programas como a Escola Mais Verde, onde a empresa que recolhe o lixo [Ecorede/Rede Ambiente] dá ações de formação às crianças sobre a separação do lixo.

Segundo António Vilela, existem 75 contentores para lixo orgânico enterrados e 350 à superfície, o que dá uma média de um contentor enterrado para 651 habitantes.

Já no que toca a lixo reciclável, o edil refere que existem 425 contentores o que dá uma média de 100 habitantes por contentor. “E mesmo assim, há recolha de lixo de porta a porta”, salientou, informando que a capacidade dos contentores é de 10 litros por dia e que a produção média de lixo por habitante é de 16 gramas/dia.

António Vilela refere que a população tem de ser educada no sentido das horas corretas em colocar o lixo na rua ou nos contentores. O edil refere que existe um regulamento municipal publicado em Diário da República que diz “claramente” que se um contentor estiver cheio, a população deve procurar outro, e não colocar o lixo no chão. O edil alerta ainda que a maioria da população não distingue o que é lixo orgânico do passível de ser reciclado.

António Vilela aponta para os 75 contentores de lixo orgânico como um exemplo para tentar educar a população. “Os contentores têm um aviso a dizer ‘lixo orgânico’ porque se verificava que colocavam lá todo o tipo de resíduos.

O edil aponta que as melhorias estão a caminhar, sobretudo no que toca a lixo reciclável, anunciando que existem atualmente 148 ecopontos no concelho, 1 por 323 habitantes. “No próximo ano, através da Braval, serão instalados mais contentores enterrados e à superfície”, garantiu, explicando que “há metas europeias para cumprir” no que concerne à reciclagem.

O edil refere ainda que cerca de 60% do lixo reciclável é depositado em contentores orgânicos, e que “era lixo para ser aproveitado”. “Esse é que é o grande trabalho que temos de fazer, porque se conseguirmos reduzir o lixo desperdiçado, estamos a fazer uma grande economia para o municipio, para além da questão ambiental.

Segundo o edil, em agosto, a empresa recolheu mais 10% de lixo, fruto de “um plano aumentado para aquele período”. “É feito um esforço enorme por parte da empresa mas há um aumento significativo da população e a questão da falta de civismo, como é o caso do depósito de cartão.

“Não é admissível passar em Vila Verde e ver cartão depositado em cima dos jardins. Temos de sensiblizar as pessoas nesse sentida. Grande parte desse lixo é depositado por empresas que o deviam reencaminhar para a reciclagem”, disse.

Apontou ainda um crescimento de 15% ao ano na recolha do lixo, o que, segundo o edil, representa que há um aumento na produção de lixo.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista