Vila Verde

Vila Verde. Cabras sem pasto devido aos incêndios

Cabras procuram pasto em Passô (c) FAS / Semanário V
Fernando André Silva

Os grandes incêndios que atingiram algumas freguesias a norte do concelho de Vila Verde estão a provocar prejuízos nos ‘cabreiros’ daquela região, com especial incidência na zona de Sande, Passô e Aboim da Nóbrega e Gondomar.

Apesar de ainda não existirem números oficiais lançados pela proteção civil, é possível ver que na região de Sande e de Passô, arderam topos de colinas com vasta área florestal, onde as cabras faziam as refeições de tojo e bolota dos carvalhos.

Ao Semanário V, alguns dos poucos ‘cabreiros’ da região manifestaram-se tristes com este cenário, ao qual confessam já estar habituados, e vão tentar deslocar as cabras para mais longe, fora do concelho de Vila Verde, de forma a conseguir assegurar o pasto.

Cabras procuram pasto em Passô (c) FAS / Semanário V

Em Gondomar, no lugar da Nogueira, um dos mais imponentes castanhais da região foi destruído pelas chamas, queimando as ‘landras’ que não só alimentam as cabras como também a raça suína.

Nogueira, em Gondomar, foi dos locais mais afetados pelas chamas, levando à evacuação de 13 pessoas (c) FAS / Semanário V

As chamas na zona norte do concelho registaram-se durante semana e meia, desde que um primeiro grande incêndio, que terá tido início junto à zona de Santa Ana, precisamente na freguesia de Passô, alastrou para Sande e Oriz, conseguindo os Bombeiros de Vila Verde proceder à sua extinção antes de entrar em Gomide.

Também no dia seguinte, começaram os incêndios em Aboim da Nóbrega e Gondomar, que, embora dominados numa primeira instância, acabaram por reacender ao início desta semana, causando um verdadeiro quebra-cabeças ao longo dos últimos dias.

Denominador comum? Zonas de caça

Não tem sido sobrevalorizado por ninguém, mas todas as forças operacionais que têm atuado nestes incêndios apontam um denominador comum. A ignição é feita em zonas de caça, como foi o caso de Dossão, Gondomar e Valões [Vade].

Mobilidade dificultada

A vida dos mais de 300 operacionais que se dividiram na última semana no concelho não foi facilitada pelos parcos acessos ao monte. Alguns caminhos corta-fogo estavam cobertos de mato e foi necessária a intervenção de máquinas de rastro [civis em Gondomar, do exército em Vade] para abrir os caminhos antigos, de forma a conseguir evitar que o fogo passasse de uma zona para outra.

Passô (c) FAS / Semanário V

O incêndio que lavrou em Gondomar, no lugar da Nogueira, acabou por obrigar à evacuação de 13 pessoas que moravam naquele lugar. No entanto, apenas estiveram algum tempo junto ao adro da igreja da freguesia, acabando por regressar a casa pouco depois. Um autocarro foi mobilizado e o pavilhão multiusos do Vade preparado para receber aquelas pessoas. Não foram evacuadas mais pessoas, ao contrário do veiculado pela imprensa regional na altura.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista