Destaque Vila Verde

Vila Verde “impecável” no acolhimento aos bombeiros durante incêndios

Dois elementos da EIP de Vila Verde registam momento em que recebem água de um popular
Redação
Escrito por Redação

Desta vez não houve tiros durante os incêndios em Vila Verde. A população foi calorosa e multiplicaram-se os gestos de apoio com entrega de bens e água, não só no quartel, mas também nos diferentes teatros de operações.

Numa visita às instalações do quartel da Associação Humanitária dos Bombeiros de Vila Verde, é possível verificar que as ofertas de águas e hidratos de carbono cresceram em grande número, muito graças a ofertas de várias pessoas anónimas, empresas, instituições e até clubes de futebol, como foi o caso do GDR Ribeira do Neiva que organizou uma angariação de águas para esse efeito, em conjunto com a Casa do Povo local.

Também as mais altas hierarquias dos BVVV, mostraram-se sensibilizados pelo apoio da população durante a última semana, que foi a mais crítica em Vila Verde desde o grande incêndio de Mós, em 2016. O responsável pelo corpo ativo dos bombeiros, 2.º Comandante Luís Morais, publicou hoje uma nota através das redes sociais onde agradece a disponibilidade dos operacionais e das diferentes entidades, mas também à “população anónima” de Vila Verde.

Durante a semana, passaram diferentes entidades pelo quartel para deixar géneros alimentícios e água, muita água. Aquela corporação foi dando conta da solidariedade da população de Vila Verde através das redes sociais.

Mas também no teatro de operações a população teve um papel ativo na ajuda aos bombeiros, seja através da disponibilização de máquinas e tratores para ajudar a combater os incêndios, mas também através de gestos tão simples como levar um cântaro com água e uma caneca de metal para saciar a sede aos operacionais.

Um desses momentos, no incêndio de Nogueira, em Gondomar, foi registado por dois elementos da Equipa de Intervenção Permanente de Vila Verde, que chegou a estar 48 horas no terreno com pouco mais de 2h de descanso pelo meio.

Também os bombeiros que vieram de fora do concelho ficaram agradecidos ao apoio da população.

Um desses casos são os perto de 30 operacionais que vieram num Grupo de Reforço em Incêndios Florestais (GRIF) do distrito de Lisboa para auxiliar num incêndio em Vila Real, mas acabaram por ser mobilizados para Aboim da Nóbrega.

Após uma fotografia em conjunto publicada no Semanário V a informar que estava lá aquele batalhão lisboeta, vários populares juntaram-se e levaram água e alimento aos bombeiros que já se encontravam a consolidar o rescaldo.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação