Cultura Vila Verde

Nem a chuva travou a estreia da desfolhada em Parada de Gatim

Redação
Escrito por Redação

O outono chegou em força, mas não foi motivo para abrandar o ritmo em terras de Vila Verde. No passado sábado, dia 13 de outubro, Parada de Gatim estreou-se na programação turístico-cultural Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, com uma desfolhada tradicional que cativou o interesse e a curiosidade da população local e dos visitantes. Embora as condições atmosféricas se tivessem manifestado bastante desfavoráveis, a chuva e o vento não foram suficientes para demover a vontade dos participantes. A freguesia uniu-se para mostrar que a tradição está bem viva com diversos momentos de grande alegria e confraternização. O lugar da Igreja de Parada de Gatim foi o espaço eleito para as pessoas recuarem no tempo com a recriação da prática agrícola ancestral que foi acompanhada do início ao fim com as danças e cantares populares com as atuações dos ‘Amigos da Paródia’ e do Rancho Folclórico das Lavradeiras de Parada de Gatim.

Para o presidente da Junta de Parada de Gatim, Pedro Rodrigues, o batismo da iniciativa cultural foi abençoado e promete que vem aí a próxima edição. “Correu bastante bem. Apesar do mau tempo, foi bem melhor do que esperávamos. As pessoas até já falaram connosco e nos pediram para continuar. E claro que é para ir para a frente”, afirma o autarca. Confessa, ainda, que como foi o primeiro ano do evento é normal que seja necessário melhorar alguns aspetos: “Há várias questões que temos que aperfeiçoar como envolver mais entidades na atividade”. No final do discurso, Pedro Rodrigues refere a importância de valorizar a cultura e a identidade de Vila Verde e reforça a ideia que foi uma tarde que “valeu muito a pena, onde as pessoas se demonstraram realmente recetivas”.

Não há temporal que pare a tradição em Parada!

A chuva e o frio estavam instalados, mas o gosto pelo mundo rural foi mais forte durante o fim de tarde do passado sábado. Tudo começou com a entrada dos ‘Os Amigos da Paródia’, um conjunto de músicos que, através das canções populares portuguesas, aqueceram e alegraram o ambiente. Entre concertinas, violas, cavaquinhos e os cantares típicos do Minho, o grupo cultural mostrou a sintonia com a tradição sendo seguido pela tradicional desfolhada minhota. Entre as crianças e os mais adultos, sentados ou de pé, a atividade reuniu muitos participantes que pegavam nas canas de milho e retiravam as espigas para, depois, encher os cestos. Tudo à boa moda antiga. Entretanto, o grupo folclórico da freguesia, o Rancho Folclórico Lavradeiras de Parada de Gatim, entra em cena com uma atuação cheia de vida e animação, apesar das constantes pingas de chuva. Houve também espaço para mais diversão musical com as populares concertinas e os cantares ao desafio. Ao chegar perto do fim, a organização preparou o fogão para o porco no espeto acompanhado pelo bom vinho regional.

Tal como tem acontecido nas múltiplas iniciativas, a desfolhada minhota decorreu conforme os valores tradicionais da Rota das Colheitas e transmitiu a ideia que a herança cultural vilaverdense está bem preservada. A par disso, a iniciativa também levou a cabo a promoção e divulgação do próprio território e do concelho em geral. A organização do evento ficou a cargo da Junta de Freguesia de Parada de Gatim com o apoio do Município de Vila Verde.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação